Uveíte | Oftalmo, visão com moscas volantes

Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > Uveíte | Oftalmo, visão com moscas volantes

O que é uveíte?

Doença inflamatória que acomete uma ou mais partes da úvea. A úvea é formada por três estruturas: a coroide, o corpo ciliar e a íris. A coroide é um revestimento interior que protege o olho. Ela se estende dos músculos ciliares até chegar ao nervo óptico, na parte posterior. Já o corpo ciliar é composto por um conjunto de músculos que atuam dilatando o cristalino. Desta forma o olho consegue focar objetos que estão próximos e observar objetos mais distantes. A íris funciona como uma lente de máquina fotográfica. É o anelzinho colorido que fica entorno da pupila.

Quando a úvea por completo ou quando alguma de suas estruturas está inflamada, damos a este quadro o nome de uveíte. Também pode acontecer desta inflamação atingir a retina e o nervo óptico. As causas são diversas e na maioria das vezes secundárias, ou seja, manifestações de uma série de doenças. Quando não recebe tratamento esta complicação pode acabar gerando sérios danos ao olho e até mesmo levar à cegueira.

A uveíte costuma ser classificada de acordo com o segmento ocular atingido. Pode ocorrer em um só olho como nos dois e ser do tipo intermediária, anterior ou posterior. É importante que diante de qualquer sintoma logo se procure por ajuda médica. Caso contrário, as sequelas podem ser bem graves.

uveites

 

Agente causador

A grande parte das uveítes não possui uma causa muito específica, portanto, diversos fatores costumam ser atribuídos a tal transtorno. Dentre estes fatores podemos destacar, por exemplo, a presença de algum vírus, bactéria ou fungo que esteja causando distúrbios no local. Certas doenças sistêmicas podem também acabar desencadeando este problema na úvea. A toxoplasmose, a tuberculose, a herpes simples e a sífilis, por exemplo, são algumas delas.

Artrite reumatoide e lúpus eritematoso são motivadores de uma uveíte, assim como outros reumatismos. Leucemias, linfomas, traumas oculares e corpos estranhos também podem acabar provocando inflamações.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

Nem sempre é possível se chegar a um diagnóstico causal da uveíte. Além de as causas serem diversas, a grande maioria possui relação com alguma outra doença sistêmica. Diante de qualquer sinal é aconselhável procurar imediatamente por um médico. O uveiteoftalmologista realizará uma série de exames para tentar estabelecer um diagnóstico diferencial, já que o quadro pode ser bem parecido com o de outras doenças como a conjuntivite, por exemplo. Alguns sinais típicos deste transtorno podem ajudar o médico a estabelecer as distinções. A presença de pontos redondos na região é um deles.

A idade da pessoa e o sexo são fatores levados em conta no diagnóstico. Uma conversa com o paciente também pode ajudar bastante. É imprescindível que se faça uma diferenciação entre uveíte posterior e anterior, pois somente desta forma o tratamento será realmente efetivo. Além de exames oftalmológicos o profissional costuma pedir exames de sangue e exames de pesquisa reumatológica, para poder avaliar se a inflamação possui relação com algo como toxoplasmose, sífilis, sarcoidose, entre outras coisas.

Após se chegar a um resultado o tratamento deve ser iniciado o quanto antes. Este é fácil e rápido quando feito com cuidado e responsabilidade. Uveítes não tratadas podem acabar provocando perda da visão e até mesmo levar à cegueira. Não deixe de realizar exames de rotina para monitorar o seu organismo. A maioria das doenças possui cura quando previamente diagnosticas.

 

Sintomas

A uveíte pode ser classificada de acordo com o local acometido. Quando é do tipo anterior atinge principalmente a íris. Já a posterior acaba atingindo mais a retina e a coroide. Ela também pode acometer o olho como um todo ou ainda ser do tipo intermediária. Os sintomas mais notados em todas estas espécies de uveítes são:

  • Vermelhidão;
  • Sensibilidade à luz;
  • Dor ocular;
  • Dificuldade súbita de enxergar.

Estes sinas surgem do nada e podem se estender por 1 a 3 dias. É comum haver confusão com conjuntivite, porém, na uveíte não ocorre muita produção de secreção e não há contágio de pessoa para pessoa. Uveítes posteriores geralmente não promovem vermelhidão e nem dor ocular. Nestes casos o sinal mais gritante é a dificuldade de enxergar. Outro sintoma muito comum desta enfermidade é a presença de “moscas volantes”, pontos pretos que ficam incomodando a visão e que acompanham o movimento dos olhos. Diante destes sintomas é preciso consultar um médico imediatamente. A uveíte é uma grave doença que pode causar sérios danos à visão.

 

Prevenção

Esta é uma enfermidade que pode acometer pessoas de ambos os sexos e todas as idades. Todos precisam, portanto, tomar cuidado. A principal medida preventiva neste caso é consultar frequentemente um médico e realizar exames de rotina. É importante monitorar moscas volantesdevidamente o organismo para que qualquer complicação seja previamente diagnosticada e receba tratamento o quando antes.

Infecções virais, bacterianas e fúngicas podem acabar levando a uma uveíte, desta forma é aconselhável manter bons hábitos de higiene como, por exemplo, não levar as mãos sujas à boca, aos olhos e sempre lavar as mãos após ir ao banheiro e antes de comer. Uma alimentação saudável também ajuda na prevenção não somente desta como de diversas outras doenças. Quando estiver com os olhos vermelhos não realize automedicações. Além de piorar o quadro em certas situações, o uso incorreto de fármacos pode ainda mascarar uma doença mais grave.

Caso sua uveíte ainda não esteja controlada é proibido fazer uso de lentes de contato. Leve seus filhos a um oftalmologista, pois muitas crianças podem não saber ao certo distinguir um distúrbio na visão deixando que a doença progrida com o passar do tempo.

 

Tratamento

Este varia de acordo com causa do problema. Por exemplo, uveítes relacionadas a infecções necessitam da ação de antibióticos, antifúngicos, antivirais ou de colírios específicos. Formas autoimunes são tratadas com corticoides por longos períodos. Anti-inflamatórios também podem ser utilizados, assim como medicamentos para o alívio da dor.

O prognóstico costuma ser bastante favorável quando o transtorno é previamente diagnosticado. Por este motivo é importante se dirigir a um profissional sempre que algo de incomum estiver ocorrendo com o seu corpo.

Tags: , , , , , , ,

1 Comentário

  1. Roberto Migliorini disse:

    Meu filho foi diagnosticado com uma uveite, está em tratamento há uns 3 anos – hoje ele tem 12 anos completa 13 em setembro – há relatos e estatisticas que com tratamento especifico a mesma seja eliminada ou ele terá que fazer uso de corticóides por toda a vida. Aguardo um parecer. Grato

Deixe o seu comentário!