Tireoglobulina

Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Exames/Procedimentos > Tireoglobulina

O que é tireoglobulina?

É uma proteína responsável por armazenar hormônios tireoideanos. As células da tireoide são as únicas do organismo capazes de produzir esta proteína. Durante todo o tempo as células foliculares sintetizam a tireoglobulina, na qual os hormônios se formam e são armazenados.

A tireoide está localizada na região pescoço. Ela é uma glândula em formato de borboleta que fica antes da traqueia e depois da laringe. Os hormônios produzidos neste local são de extrema importância para o bom funcionamento do corpo humano. Sem eles o metabolismo entra em desequilibro e quase todos os tecidos começam a agir de forma estranha.

O exame de tireoglobulina é um dos procedimentos de rotina para o acompanhamento de tumores na tireoide. Além dele a cintilografia de corpo inteiro também é muito utilizada com esta finalidade. Ao medir a quantidade de tireoglobulina no sangue do paciente o médico pode verificar se o tumor foi completamente removido, por exemplo.

O câncer de tireoide é um tumor maligno ou algum crescimento da glândula. Quando células anormais insistem em se multiplicar na região, forma-se um tumor. Basicamente existem 4 tipos de câncer de tireoide: o papilar, o folicular, o medular e o anaplásico.

Tireoglobulina (TG)

 

Para que serve a medição de tireoglobulina?

A tireoglobulina é uma proteína sintetizada exclusivamente pela tireoide. Seus níveis variam dependendo do estado funcional da glândula. Quando esta está sofrendo um processo inflamatório, quando há carcinomas, hipertireoidismo ou apalpação vigorosa o nível sérico fica elevado.

A medição nos níveis de tireoglobulina é útil, principalmente, quando há a necessidade de avaliar o sucesso de uma cirurgia de câncer de tireoide. O exame de tireoglobulina é um importante exame de rotina para pessoas que tiverem este câncer. Geralmente nestes casos a tireoide é completamente removida. Como ela é a única glândula capaz de sintetizar a tireoglobulina no corpo humano, caso haja a existência da proteína no sangue algo está errado. Isto significaria, por exemplo, que o câncer se espalhou e que alguma célula em outro lugar do corpo vem produzindo a proteína em questão.

 

Como é o exame

O exame para medição de tireoglobulina é muito simples e importante. Na maioria das vezes o material biológico colhido é o soro ou plasma heparinizado. O profissional pedirá para o paciente entrar um ambiente adequado e começará o procedimento. Algumas medidas são necessárias para que este tenha resultados efetivos. Os preparativos serão descritos logo abaixo.

Cerca de 1,0 ml de soro ou de plasma heparinizado será colhido. O exame é rápido e indolor. Não há necessidade de comparecer na data e no local acompanhado. A amostra será armazenada e então estudada. O paciente é liberado logo em seguida. O aumento ou a diminuição da tireoglobulina conferem diferentes interpretações. Após o resultado do exame o médico solicitante deverá ser contatado.

 

Quais são os preparativos

Um dos preparativos mais importantes para a realização do exame de tireoglobulina é a presença no organismo do hormônio que estimula a tireoide. O TSH, hormônio estimulante da tireoide, necessita estar em circulação para que o procedimento seja efetivo, já que ele irá estimular qualquer célula da glândula que tiver reaparecido ou que tiver sobrado.

Para que tal condição ocorra a pessoa pode recorrer a dois diferentes métodos: parar de tomar os hormônios da tireoide ou utilizar o TSH recombinante. Quando o paciente para de tomar os hormônios o corpo passa a produzir o TSH, levando a um estado de hipertireoidismo. Caso ele faça uso do TSH recombinante, estará colocando no corpo uma versão sintética do hormônio que o corpo poderia produzir naturalmente. O TSH recombinante é um fármaco preparado que pode ser injetado no organismo.

Para que haja TSH circulante estas medidas precisam ser tomadas cerca de 1 semana antes do exame de tireoglobulina. Com isto a pessoa fica em estado de hipertireoidismo, que pode ser mais ou menos incômodo, dependendo do perfil do paciente.

Além destes preparativos é indicado um jejum de 4 horas no dia do procedimento. Será também preciso responder um questionário com perguntas sobre os medicamentos utilizados no dia a dia, possível gravidez, cirurgias anteriores de tireoide, entre outras coisas. É aconselhável chegar com certa antecedência.

Tireoglobulina evolução

 

Riscos e efeitos colaterais

O exame de tireoglobulina é simples e praticamente não envolve riscos ou efeitos colaterais. O único risco que a pessoa corre é a reincidência do câncer quando não realiza este procedimento de rotina.

Como é necessário que haja TSH circulante no corpo durante o exame, algumas pessoas podem se sentir incomodadas com o estado de hipertireoidismo provocado por esta situação. Quando se está nesta condição a pessoa fica agitada, pode haver tremores, taquicardia, nervosismo e sensação de calor. Os sintomas variam dependendo do organismo. Podem ser mais ou menos intensos e na grande maioria das vezes são extintos após o procedimento. O exame não causa dor e é bastante rápido.

 

O que ocorre após o exame

Logo após o exame a pessoa está liberada. O dia pode continuar como de costume e a alimentação pode voltar ao normal. Não restam efeitos colaterais ou dores. É tudo rápido e simples.

Caso, após a análise do material colhido, o profissional tenha detectado a presença de tireoglobulina, novos exames poderão ser solicitados pelo médico. Após uma cirurgia de câncer de tireoide a glândula é retirada por completo. Como somente células desta região produzem a proteína, a existência desta no sangue quando já não há mais a glândula é algo incomum. O câncer pode ter se espalhado e outros locais vêm produzindo a tireoglobulina.

Para um estudo mais aprofundado do caso o médico pode solicitar a realização de uma cintilografia de corpo inteiro, de uma radiografia, de um ultrassom, de uma tomografia por emissão de pósitrons, entre outros exames. É preciso ficar atento ao câncer de tireoide. Este pode voltar ou não ter sido totalmente destruído. Exames como o de medição de tireoglobulina e a cintilografia de corpo inteiro são os mais importantes neste monitoramento do organismo. Cuidando bem da saúde é possível se prevenir de uma série de complicações, portanto, não se deve deixar de realizar estes exames de rotina.

Tags: , , , , , ,

2 Comentários

  1. Francisca disse:

    Estou preocupada com a minha tireoglobolina,acho que esta alta.

  2. MARINA disse:

    Qual é o valor normal de quem já tireoidectomia

Deixe o seu comentário!