Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > PANO BRANCO | Micose na Pele

PANO BRANCO | Micose na Pele

O que é pano branco?

Uma infecção fúngica superficial que também recebe o nome de pitiríase versicolor. Extremamente frequente em ambos os sexos e idades, a principal característica é a manifestação de mudanças na pigmentação da pele. A levedura Malassezia furfur é quem promove esta variação de pigmentação. É um fungo comum na flora da pele, principalmente em regiões mais gordurosas do corpo humano como os braços, o tronco, o couro cabeludo, o pescoço e a face.

A condição tem início quando as leveduras começam a se multiplicar de forma incomum. Pele muito oleosa, sudorese, calor, umidade e baixa resistência, são fatores que deixam o indivíduo mais predisposto ao quadro. É comum no verão e, por isto, o pano branco também é popularmente chamado de micose de praia.

Doença comumente observada em trópicos e regiões de clima temperado, possui altas taxas de cura e muitos são os tratamentos disponíveis. Entretanto, a recorrência é elevada. Não é contagiosa e nem possui relações com hábitos precários de higiene. Acomete todos os tipos de pele e, apesar de poder se manifestar ao longo de toda a vida, costuma ser mais comum em jovens, devido a maior atividade hormonal, o que pode provocar oleosidade na pele.

pano branco micose

 

Agente causador

É causada por um fungo dimórfico, comum de ser encontrado na flora normal da pele conhecido por Malassezia furfur. Ele se apresenta sob duas formas, uma oval e outra cilíndrica. Crescem quando em temperaturas altas e em regiões mais gordurosas, como braços, couro cabeludo e face.

Provocam múltiplas lesões intercaladas com tecido normal. Estas costumam ser mais frequentemente encontradas no dorso dos pacientes. Não é contagiosa e a causa não tem total relação com o crescimento desenfreado destes fungos, porém, após análise de tecido de pessoas com pano branco, a quantidade de leveduras presentes é sempre maior do que o normal.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

As alterações na pigmentação e as lesões costumam ser bastante características e notáveis. Desta forma, é frequente a busca por auxílio médico logo no início da complicação. A análise clínica somada a uma conversa com o indivíduo já pode levar o médico a suspeitar de um caso de pano branco. Porém, para o correto diagnóstico e para que o tratamento mais adequado possa ser indicado, exames laboratoriais precisam ser realizados.

Um exame micológico das lesões ou um exame com lâmpada de Wood, por exemplo, já trazem informações suficientes para a certeza do caso. O agente causador de tais manifestações precisa ser detectado para que os medicamentos mais eficientes sejam prescritos. Apesar de não parecer algo sério, deve-se procurar por auxílio médico imediatamente. Somente um profissional conseguirá realizar um diagnóstico diferencial de hanseníase, dermatite atópica ou pitiríase rósea, por exemplo.

É importante não realizar automedicação. Muitos fármacos podem prejudicar a cura quando ministrados de forma incorreta. O tratamento, quando feito da forma indicada, produz resultados satisfatórios e o prognóstico costuma ser favorável.

 

Sintomas

pano brancoNa maior parte dos casos observados as lesões são assintomáticas. Poucos pacientes reclamam de coceira na região afetada. Lesões na face são mais comuns em crianças, já em adultos, estas tendem a se concentrar no dorso. Raramente as lesões atingem os membros inferiores, axilas, genitália ou pênis.

As machas apresentam fina descamação e podem provocar leve purido. A pele adquire outra coloração, podendo ficar mais clara ou mais escura em certas regiões. Esta alteração de cor pode vir a ocorrer novamente mesmo após o termino do tratamento. Os sinais mais evidentes de pano branco são, portanto:

  • Machas descamativas;
  • Hipo ou hiperpigmentação local variando de branco para castanho;
  • Leve coceira;
  • Progressão de área afetada.

Diante destes sintomas é muito indicado a procura por um médico. Algo aparentemente simples pode ser somente o início de uma séria doença. Portanto, não realize automedicação e procure por um profissional para receber o correto diagnóstico. Quando o tratamento é feito da forma indicada o pano branco possui prognóstico bastante favorável.

 

Prevenção

Simples medidas podem ser preventivas em um caso de pano branco. Evitar locais muito quentes e úmidos, por exemplo, são as principais delas. Após o banho ou após dar um mergulho no mar ou na piscina, adquira o hábito de secar bem todas as áreas do seu corpo, em especial as dobras.

Quando a complicação já tiver se manifestado no organismo evite expor estas áreas ao calor extremo e à umidade, pois a situação pode ficar mais complicada. Não compartilhe toalhas e roupas com outras pessoas e utilize sempre roupas leves, de preferência de algodão. Tecidos sintéticos deixam o corpo mais vulnerável a infecções. Em hipótese alguma passe óleos no corpo quando estiver exposto ao sol. Locais úmidos, quentes e oleosos são o habitat perfeito para a multiplicação da levedura Malassezia furfur.

Para evitar futuras complicações e para evitar reincidências frequentes da doença, consulte um médico e realize o tratamento de acordo com as indicações. Este costuma ser rápido, indolor e eficiente.

 

Tratamento

O grande intuito do tratamento é a eliminação do fungo. Para tanto, geralmente se faz o uso de medicamentos orais e tópicos.  A aplicação de pomadas antifúngicas por cerca de 14 dias já contribui para uma melhora considerável. Mesmo após a regressão dos sintomas a pomada ainda dever ser aplicada toda semana por um mês para que o problema não volte a reincidir. Apesar disto, esta é uma situação bastante frequente.

pano branco tratamento

Shampoos e sabonetes especiais para combater o fungo também costumam ser receitados pelo médico especialista. A aplicação consiste na formação de espuma e na espera da ação local. Caso estas medidas não surtam efeito no paciente, medicamentos mais fortes via oral serão indicados pelo profissional, normalmente durante dez dias.

É comum que as lesões voltem a aparecer. Nestes casos será necessário dar início a um novo tratamento. Não deixe, entretanto, de consultar um médico para avaliar com certeza a causa dos sintomas e o porquê da reincidência. Não realize automedicação sob hipótese alguma. Evite expor manchas quaisquer ao sol sem que se receba uma correta avaliação médica. Cuide bem do seu corpo. Sua saúde agradece.

TEMOS MAIS ARTIGOS PARA VOCÊ:

15 comentários em “PANO BRANCO | Micose na Pele

  1. To com pano branco, nas costas, o medico receitou cetoconazol, por diversos dias, so q as manchas nao sumiram. Apos o tratamento pra eliminar o fungo, preciso realizar algum outro para a pele voltar a cor que era?

  2. ola a meu nome e Ronald nas minhas mãos ta aparecendo umas mancha branca e pano branco isso tem como prevenir isso ?

  3. Sou lucia tenho uma mancha branca na cabeça ja a 10anos e saiu cabelo branco e procurei tratar mas n hospital diziam coisa com coisa.o que peço é onde podiam conseguir o tratamento p que a mha pele voltaxe a ser coo era dantes e se é possivel operar.sou moçambicana.me ajudem

  4. Quando a pessoa está tratanto o pano branco, a pessoa ainda
    Corre o risco de poder contaminar alguem?
    Ou com a medição pode-se ter contato com as pessoas

  5. por favor me ajuden aparecerao em mim nas parte itima e no couro cabeludo umas manchas branca na cabeca e nas parte itima meia avermelhada me preucupo muito

  6. olá, apareceu uma mancha branca, pequena, nas minhas duas axilas, e uma na virilha, de um lado só, onde tem a mancha os pelos estão nascendo brancos tmb, pode ser pano branco? ou o que será? Aguardo, Obrigada!

  7. ola, eu tanbem tenho essas manchas e eu fui no medico ele me receitou 2 remedios um era ispray e outro era via horal eu fiz tudo certinho mas ate agora nao saiu eu nao sei mais o que faser ta chegando o verao e eu ainda estou com as manchas por favor alguem me da uma luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>