Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > Mastoidite

Mastoidite

O que é mastoidite?

É a infecção do osso mastoide do crânio que fica localizado logo atrás da orelha e é formado por células neumáticas que possuem a função de drenar o ouvido médio. As otites são muito frequentes, principalmente em crianças pequenas. Como decorrência uma série de complicações pode aparecer, sendo que a mastoidite é uma delas.

O ouvido médio é uma estrutura formada pelo tímpano e por uma câmara repleta de ar que contém uma cadeia de três ossos bem pequenos. Estes possuem a função de ligar o ouvido interno ao tímpano. Já o ouvido interno, que recebe o nome de labirinto e está cheio de líquido, é constituído por duas partes importantes: o órgão da audição, chamado de cóclea, e o órgão do equilíbrio, ou canais semicirculares. Os sintomas que um problema no ouvido médio ou no ouvido interno produz são bem parecidos. Geralmente uma condição em local acaba também afetando o outro.

A maioria das enfermidades nesta região provoca mal estar, sensação de entupimento e dor. Pode haver perda da audição e saída de pus, assim como é comum a ocorrência de zumbidos e de vertigens. As principais doenças do ouvido são a otosclerose, a miringite infecciosa, a barotite média, as otites e a mastoidite.

 

Agente causador

A mastoidite é uma infecção da apófise mastoide. Pode apresentar-se como uma resposta a uma infecção no ouvido médio, sendo que no caso as células neumáticas estariam comprometidas. Geralmente, crianças com mastoidite possuem algum antecedente de infecção no ouvido, ou ainda sofre de tal.

O transtorno pode ser provocado por inúmeros fatores, como devido à ação de bactérias. Antes da existência dos antibióticos esta eraMastoidite uma das causas mais comuns de morte infantil. Hoje em dia a condição pode ser devidamente tratada e é considerada pouco perigosa e escassa.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

Os sintomas são intensos e a dor provocada logo leva as pessoas a procurarem por ajuda. Após uma análise clínica e uma conversa com o paciente, o profissional começa a suspeitar da condição. Infecções recentes de ouvido e alguns sinais provocados pela mastoidite ajudam no diagnóstico, porém é importante recorrer a exames complementares para que todas as possibilidades sejam excluídas e para que o tratamento mais adequado tenha início.

A tomografia computadorizada, por exemplo, pode ajudar na detecção de áreas com perda de septações e com erosões no córtex ósseo.  Radiografias seriadas auxiliam na identificação de alterações ósseas progressivas. Em algumas situações até mesmo uma ressonância magnética pode ser considerada, para o estudo de complicações intracranianas.

Microrganismos isolados determinam a espécie de infecção na orelha média. A bactéria mais encontrada em casos de mastoidite é o Streptococcus pneumoniae. O otorrinolaringologista precisa estar atento a todas as possibilidades para estabelecer um diagnóstico diferencial. Quando houver certeza do caso um tratamento deve ter início. Todas as mastoidites necessitam de tratamento. É importante consultar um médico assim que os primeiros sintomas começarem a surgir.

 

Sintomas

As manifestações começam a surgir geralmente após duas ou mais semanas de um caso de otite média aguda. Conforme a infecção vai se espalhando, áreas internas da apófise mastoide vão sendo destruídas. É bem provável a formação de um abcesso no osso. A pele que possui a função de recobrir o osso mastoide acaba se tornando inchada, dolorida e vermelha. O ouvido externo se desloca para um dos lados e fica mais rebaixado. Além disto, outros sinais podem ser destacados, como:

  • Dores de cabeça;
  • Desconforto no ouvido;
  • Dores no ouvido;
  • Irritabilidade;
  • Secreção saindo do ouvido;
  • Febres que surgem abruptamente.

Diante destes sintomas um médico logo deve ser consultado. Embora não seja uma doença grave, pode se tornar algo bastante complicado sem o devido tratamento. Muitas vezes é preciso uma internação hospitalar, pois pode ser difícil atingir a profundidade necessária para chegar ao osso mastoide.

 

Prevenção

Algumas medidas podem ser tomadas com o intuito de se prevenir da mastoidite e de outras infecções graves. Podemos destacar, por exemplo, a necessidade da boa higiene e da proteção dos ouvidos. Uma toalha ou gaze deve ser utilizada diariamente para limpar os ouvidos. A zona interna não pode, entretanto, ser limpa com cotonetes, pois lesões ou inflamações podem ser provocadas.

A cera do ouvido sai naturalmente, não é preciso que se retire o excesso. Correntes de ar devem ser evitadas, especialmente em dias frios. Crianças necessitam de proteção no ouvido após o banho, assim como a região deve estar sempre bem seca. Ruídos fortes de televisão ou músicas em um volume muito alto devem ser evitados. Não convém também colocar a cabeça de bebês debaixo d’água.

Caso a criança esteja com alguma infecção de ouvido é preferível que não ande de avião, pois a pressão do ar mais alta pode provocar dores. Ainda que a criança não esteja com nenhum problema ela sente muito mais do que o adulto a pressão no avião. Mascar chicletes durante o voo e beber água ajuda a reduzir o incômodo.

Além destas medidas, é importante que todos os distúrbios no ouvido sejam devidamente tratados, especialmente as otites médias. Caso contrário as situações serão recorrentes e os transtornos constantes.

 

Tratamento

Apesar de não ser uma enfermidade grave quase sempre é preciso internação hospitalar para se tratar uma mastoidite. Antibióticos necessitam ser aplicados por meio de injeções e pode ser um pouco complicado atingir a profundidade necessária para tanto fora do ambiente hospitalar.

Após um período de tratamento os medicamentos passam a ser administrados oralmente. Em algumas situações pode ser preciso uma cirurgia para drenagem de líquido. O profissional costuma sugerir um procedimento no qual uma pequena abertura é feita no tímpano de forma a garantir a drenagem e o alívio da pressão.

O prognóstico da mastoidite tende a ser bastante positivo. A doença já foi a causa da morte de muitas crianças, entretanto após o advento dos antibióticos passou a ser considerada menos grave. É preciso consultar um médico diante dos sintomas, para que este avalie corretamente cada caso e indique a melhor solução. Em hipótese alguma deve se realizar auto-medicação.

10 comentários em “Mastoidite

    1. oiii fiz tem 5 dias esta muito dificil parece q doi o corpo todo muita tontura nao da pra durmir muito menos comer mais tenho fe que vai fica tudo bem … levei 8 pontos

    2. Como foi a cirurgia? Foi aberta? Ficou qto tipo no hospital? Estou achando que estou com isso….fiz um TC e apareceu partes moles mastóide.

  1. Tenho mastoide cronica a 7 anos e não faço tratamento presiso de ajuda pois não aguento mais sofre com esse ouvido alguem pode me ajudar

  2. Tenho um netinho de quatro anos, e infelizmente há dois anos foi constatado a mastoidite. O levamos para um otorrino, e faz um tratamento rigoroso. Mas quando fica resfriado, ou com tosse, ou até mesmo sinusite é um sofrimento, tem q tomar remédios fortíssimos, e isso nos deixa muito chateados. Não vejo a hora disso passar, muito doloroso!

  3. Quem puder se tratar eh mto bom .Estou longe do meu
    Bebe de 1aninho faz 2 semanas amamentava no peito estou
    Sofrendo mto estou enternada na santa casa de poa.Tenho
    22anos a mastoidite nao tratada me trouxe uma serie de problemas
    Sex dia 2 entrei em coma com miningite bacteriana estou tomando antibioticos.Mas antes tive labirintite
    Otite perda de audicao.Agora estou me tratando e vou fazer a drenagem
    Espero sair daqui bem quero muito ver meu filho sou nova tenho
    Muito p viver nunca tive nem um problema de saude sempre
    Fui saudavel praticava esporte

  4. Oi,fiz uma cirurgia no ouvido a um ano,foi realizado uma timpanoplastia,e agora vou ter que ser submetida a uma nova cirurgia,fiz novos exames e estou com masteodite,e estou com muinto medo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>