Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > HIPERQUERATOSE

HIPERQUERATOSE

O que é hiperqueratose?

É um quadro que pode ser decorrente de diversas complicações. Quando se manifesta é devido ao excesso de queratina, um tipo de proteína. Com isto ocorre endurecimento da pele associado ou não a outras manifestações sistêmicas. A hiperqueratose palmo-plantar epidermolítica é uma das mais frequentes. As manifestações são, por outro lado, bem variadas. Devido a esta variabilidade é ainda um pouco mal compreendida. Atinge regiões específicas e pode ser manifestação de alguma outra doença ou apenas devido à ligação genética.

O mecanismo que leva à produção excessiva de queratina ainda é bem pouco compreendido e há discordância entre autores. Sabe-se que pode ser decorrente de diversas manifestações clínicas. Com relação à morfologia da disfunção, nota-se que é focal, difusa e punctata. Pode ser algo restrito às regiões palmo-plantares ou ainda se espalhar por locais como joelhos e cotovelos. O curso pode ser tanto estável quanto progressivo, agravando-se com o chegar de uma idade mais avançada.

As manifestações podem ter início já nas primeiras semanas de vida e a grande maioria tem padrões de herança autossômica dominante. Apesar de não se ter muitos detalhes ainda sobre tal complicação é preciso uma avaliação médica diante dos sintomas para o monitoramento do organismo.

hiperqueratose

 

Agente causador

O excesso da produção de queratina leva ao desenvolvimento do quadro. Esta é uma proteína encontrada em humanos e também em animais. Nos seres humanos ela cobre as células da epiderme, formando com isto uma camada. É de vital importância a sua presença no organismo, já que protege contra agressões externas como choques, radiação solar, chuvas e ventos, por exemplo.

Devido a sua estrutura, a queratina é impermeável, resistente e elástica. É muito importante também na proteção dos cabelos e na manutenção da saúde destes. As células, quando queratinizadas, são mortas. Entretanto, continuam a exercerem as suas devidas funções. Ela está presente, por exemplo, nas escamas dos répteis e nos chifres, cascos e garras de outros animais.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

Através de análise clínica e do histórico do paciente é possível começar a suspeitar de um caso de hiperqueratose. As lesões são bem notáveis, entretanto, é preciso se fazer um diagnóstico diferencial para poder dar início a um tratamento mais adequado.

É importante o histórico do paciente para se pesquisar possíveis doenças ou complicações que possam ter levado a tal disfunção. Um exame histopatológico é fundamental, pois é um dos únicos capazes de diferenciar as manifestações clínicas da hiperqueratose das de outras doenças. Este exame consiste na análise microscópica de tecidos que foram previamente removidos do paciente através de uma biópsia. No laboratório de patologia os tecidos retirados das lesões são obervados cuidadosamente e é possível se descobrir a origem das destas e o tempo de evolução das mesmas.

Após uma coversa com o paciente, a devida análise clínica e os exames laboratoriais indicados, pode-se chegar à certeza de que se trata de um caso de hiperqueratose. O tratamento precisa ser iniciado o quanto antes para que tal condição não progrida ou gere mais complicações.

 

Sintomas

O mais notável nestes casos são as lesões, que podem surgir desde o início da vida do paciente. Estas podem ficar localizadas na região palmo-plantar ou ainda se espalharem por outros locais como joelhos e cotovelos. Algumas tendem a piorar com o passar dos anos. Já em outras situações estas permanecem estáveis por longos períodos.

As marcas são amareladas e com bordas bem delimitadas. Em muitos casos há a formação de um halo eritematoso contornando a região. A superfície que foi afetada, seja a região das mãos, dos pés, dos joelhos ou cotovelos, costuma adquirir uma aparência de pele de cobra. É frequente a formação de bolhas nos locais das lesões.

micose de pele

Quadros de hiperidrose são notados em alguns pacientes, quase sempre relacionados a infecções fúngicas. Não é frequente a extensão das lesões para as regiões nas laterais dos dedos, assim como alterações a coxins falangeanos. Portanto, os principais sintomas relacionados à hiperqueratose são:

  • Lesões com bordas bem delimitadas;
  • Marcas amareladas nas regiões das mãos, pés, joelhos ou cotovelos;
  • Aparência de pele de cobra nestas regiões.
  • Bolhas nas lesões;
  • Hiperidrose.

 

Prevenção

A hiperqueratose tende a se manifestar ou a piorar em intensidade geralmente no período do verão, quando a transpiração é maior. Com isto a região fica desidratada e a pele ressecada. Portanto, neste período é muito importante a hidratação dos pés, mãos, joelhos e cotovelos. Cremes com ureia ou com outros queratolíticos são indicados não somente para a prevenção como também para o tratamento deste problema. Outros mais oleosos com lanolina e vaselina, por exemplo, são perfeitos para o uso diário.

Evite usar calçados abertos e pisar mais forte de um lado do que do outro. Obesidade também é um fator contribuinte para esta disfunção, portanto, cuide da sua alimentação e pratique atividades físicas. Nem que seja uma simples caminhada pela manhã. Alterações hormonais, como as causadas pelo hipotireoidismo ou pela menopausa, por exemplo, podem contribuir para o quadro. Caso você sofra com algum tipo de alteração hormonal, não deixe de consultar um médico para uma análise diagnóstica.

 

Tratamento

Cremes hidratantes como os mencionados acima podem ser indicados em casos mais suaves de hiperqueratose. Já em situações mais preocupantes outros fármacos tópicos e orais podem ser indicados pelo médico especialista. O tratamento visa, basicamente, a amenização dos sintomas.

Banhos de imersão em água com sal são úteis, pois ajudam na hidratação. Vitaminas como C e E podem ser prescritas, já que são agentes antioxidantes e podem ajudar na renovação celular. A qualidade de vida da pessoa também influi muito no resultado e na eficiência do tratamento. É bom evitar andar com pés descalços ou com calçados muito abertos, assim como é necessário manter uma dieta rica em vegetais, legumes e frutas. Não há cura para esta disfunção, porém os sintomas podem ser efetivamente tratados. Quando o tratamento é feito com disciplina e quando os devidos cuidados são permanentes, a melhora costuma ser bastante considerável. Diante de qualquer problema, não deixe de consultar um médico.

Tags: , , , , , , ,

15 Comentários

  1. Denis de Aguiar disse:

    Muito bom. Essas informações foram de vital importancia, pois minha esposa tem sofrido muito com esse problema.

  2. Giselle disse:

    Gostaria de saber se o quadro de HIPERQUERATOSE pode agravar, fazendo com que seja necessário a amputação do membro afetado.

  3. Maria Izabel disse:

    Descobri há 8 anos que tenho hiperqueratose!Já tinha passado pro muitos dermatologistas e nunca descobriram o que eu realmente tinha. Os primeiros sinais apareceram, quando eu tinha apenas 3 anos de idade, vi descobrir aos 17 anos, através de uma Biopsia, feita pela Dermatologista Drª Claudia Juvina, que na primeira consulta, já me afirmou que se tratava de Hiperqueratose, que realizaria o exame, apenas para me tranquilizar, pois eu chegeui a pensar que fosse um Câncer de pele.Hoje faço tratamento com cremes a base de ureia, e pomadas a base de clobetasol (propiosol), e noto que tem amenizado muito as lesões(Feiúra, ressecamento e escurecimenmtoda pele).

  4. Valnodir Leite Guimarães disse:

    Muito esclarecedoras essas informações.Estou passando por esse problema e fiquei um pouco assustado quando me disseram que poderia ser hanseníase.Obrigado.

  5. job celestino disse:

    obrigada pela dica,vou seguindo as recomendaçãos da maria ezabel espero q o meu querido amado filho tmha melhora beijos e abraços.

  6. Estou sofrendo muito com esse problema, que me atinge os pés. Tenho vergonha de ir á uma piscina , pois meus pés são horríveis . Com rachaduras no tornozelo e nas pontas do meus dedões. E sangra. quando acordo meus pés estão mega-ressecados, tenho que hidrata-los para poder sair da cama. Uso um creme chamado ” Eucerin com ureia a 10%” mas o ressecamento persiste.

  7. Estou sofrendo muito com esse problema, que atinge os meus pés. Tenho vergonha de ir á uma piscina , pois meus pés são horríveis . Com rachaduras no tornozelo e nas pontas do meus dedões. E sangra. quando acordo meus pés estão mega-ressecados, tenho que hidrata-los para poder sair da cama. Uso um creme chamado ” Eucerin com ureia a 10%” mas o ressecamento persiste.

  8. Tatiane disse:

    Olá meu irmão tem hiperqueratose palmo plantar desde os 3 meses de idade, ele tem as lesões somente nos pés, o grande problema é que ele sofre de dores terríveis tem muitas crises e fica semanas sem andar até a pele ressecada sair tudo e ele conseguir colocar os pés no chão novamente. Hoje ele 20 anos e ainda sofremos muito com essa doença, ele toma acitretina 0,25 mg e faz uso de pomadas mas mesmo assim de vez em quando tem crises com muitas dores e não tem remédio que ameniza essa dor pois é muito forte e isto que nos revolta, se não tem cura a gente conforma, mas a dor tinha que ter solução. Se alguém passa por esse mesmo problema e tem alguma solução nos ajudem por favor precisamos muito, obrigado.

  9. Carol disse:

    “tenho hiperqueratose e é horrivel mais controlo com cremes mais se eu parar de passar por um ou dois dias meus pés racham e ficam sangrando faço curativos todas semanas :(

  10. vanilda disse:

    quais as comidas que ñ podemos comer, ?

  11. vanilda disse:

    pq só agora a 8 meses me apareceu este problema, tenho 53 anos.

  12. edimar fernandes de oliveira disse:

    tenho essa doença e me encomoda muito se tiver tratamento gostaria de saber obrigado pelas informaçoes

  13. yara disse:

    A 20 ANOS QUE A PARECEU ESSA DOENÇA EM MIM NO MEU PE E A MINHA FILHA COMEÇOU A UNS 4 ANOS A TRAZ E EREDITARIO ELA TEM 16 ANOS E MUITO SOFRIMENTO DEVIDO A DOR QUE SENTIMOS TEMOS CALOSIDADE PLANTA DEVIDO A QUERATINA EM EXCESSO MAS TENHO CERTEZA QUE O SENHOR DEUS ESTA LEVANTADO PESSOAS PARA NOS AJUDA!!! DEUS E FIEL!!!!

Deixe o seu comentário!