Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > HANSENÍASE

HANSENÍASE

Hanseníase

Hanseníase é uma doença que afeta visivelmente a pele, mas também pode atingir alguns órgãos como fígado, testículos e olhos. Pode ser contagiosa se o paciente que a possuir não estiver em tratamento. É uma das enfermidades mais conhecidas da medicina e recebeu o nome de Hanseníase oficialmente em 1976, antes disso era conhecido como lepra.

Os países que mais registram casos da doença são o Brasil e a Índia. Há uma previsão da Organização Mundial da Saúde, OMS, que a doença chegue ao fim, mas para isso é necessário atingir a meta de menos de um caso para cada 10 mil habitantes por ano.

Existem três tipos de hanseníase, a indeterminada, a paucibacilar ou tuberculóide e a multibacilar ou lepromatosa. Todas têm os mesmo sintomas, conheça cada uma delas.

  • Hanseníase indeterminada – 90% dos casos correspondem a esse tipo da hanseníase, que apresenta uma única lesão no corpo.

 

  • Hanseníase paucibacilar ou tuberculóide – Os casos onde a doença se manifesta pelo corpo com até cinco manchas. Nestes casos, a resposta ao tratamento acontece de forma imparcial e não se alastra nas demais partes do corpo.

 

  • Hanseníase multibacilar ou lepromatosa – A mais grave de todas. As manchas e lesões causadas pela doença aparecem em seis ou mais regiões do corpo.

hanseniase

 

Como se adquire;

A doença é transmissível exclusivamente por seres humanos, quando se mantém contato direto com o doente que não está em tratamento. Após a fala, tosse, espirro ou secreção nasal a bactéria mycobacterium leprae, que causa a doença pode infectar. Importante ressaltar que pacientes em tratamentos não transmitem a doença, e apenas uma parte das pessoas que tem contato com a bactéria desenvolve a doença, que corresponde a 5% dos pacientes. O fator que determina ser contaminado ou não, tem relação com genética, imunidade e resistência de cada um.

O vírus pode demorar de três a cinco anos para se manifestar, por isso é mais comum ser diagnosticado em adultos, mas não é uma regra e crianças também podem ser contaminadas.

Veja sobre outras doenças de pele:

 

Quais são os sintomas;

A pele fica com manchas avermelhadas ou esbranquiçadas e o paciente ainda perde a sensibilidade ao frio, calor, dores e toque. É possível também sentir formigamento, fisgadas ou dormência na região que apresentar alterações na pigmentação da pele e perder movimentos para segurar objetos, por exemplo, além de aparecer caroços e placas em diversas partes do corpo.

 

Como é feito o diagnóstico;

Como qualquer situação de anormalidade na saúde, é essencial que se procure um médico. Para diagnosticar a hanseníase é necessário testes de sensibilidade, força e palpitação dos braços, nervos, pernas e olhos. Alguns exames de laboratório como biópsia podem ser necessários para ajudar na avaliação médica e exames complementares como a baciloscopia ou biopsia cutânea são essenciais para o diagnostico preciso.

 

Como é o tratamento;

hanseniase tratamentoA doença tem cura. Os cuidados e tratamento são realizados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde, SUS, com a distribuição de remédios que devem ser tomados rigorosamente de seis meses a um ano, depende do paciente, do tipo de hanseníase e do tempo em que foi descoberta a doença. Não existe a necessidade de isolamento do paciente, ao contrário, como em situações difíceis, é muito importante o carinho de amigos e familiares.

O tratamento leva o nome de poliquimioterapia e são divididos em dois grupos, os paucibacilares e multibacilares. Ficam entre os paucibacilares os pacientes que não correm risco de contaminar outras pessoas. Já os multibacilares sem tratamento eliminam os bacilos, mas podem infectar outras pessoas.

Procure um médico especialista para que ele identifique qual será o melhor tratamento do seu caso, jamais use medicamento por conta própria, pense que assim você poderá agravar seu quadro e diminuir as chances de um tratamento mais imediato e com poucas complicações.

 

Como prevenir;

A melhor forma de prevenção é saber identificar os sinais para procurar ajuda dos especialistas. O exame dermato-neurológico também é essencial, além da vacina de BCG para quem mantém convívio com portadores da doença.

Também é essencial identificar a fonte de contágio, para que seja realizada a prevenção de todos que mantém contato com o paciente infectado e de imediato iniciar o tratamento do mesmo.

Quem manteve convívio com o paciente portador da doença nos últimos cinco anos, deve realizar os procedimentos médicos para identificar a doença, justamete pelo fato que a bactéria demora de três a cinco anos para se manifestar.

Tags: , , , , ,

6 Comentários

  1. camilla ribeiro matias disse:

    nossa e contagioza assim

  2. abadia ferreira da silva disse:

    Eu tive hanseníase e foi muito traumático para mim pois o fato de eu ser diabetica demorou,muito para descobrir as reações eram parecidas,talvez fosse preciso falar mais sobre o assunto e os médicos terem mais cuidado ao dar diagnósticos sem ter certeza esso me prejudicou muito a índa hoje tenho muitas dores nos nervos e sofro muito,é uma doença que está no nosso meio acho que se falar mais.

  3. Rosinaldo disse:

    Tenho uma mancha embranquiçada com perda total de sensibiladedesde os 13 anos de idade ja fiz biopsia e não deu nada será que eu tenho essa doença.se alguem tiver informaçoes entrem em contato comigo por favor para que eu possa tirar dúvidas. Cel 092 91068140 sou de Itacoatiara ?mazonas

  4. carla disse:

    tenho algumas manchas brancas no braco mais elas n sao dormentes e tbm tem pelos ,alguem pode me informar o que pode ser

Deixe o seu comentário!