Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > Glaucoma | Sintomas, tem cura?

Glaucoma | Sintomas, tem cura?

O que é glaucoma?

É uma doença provocada principalmente pela alteração da pressão intraocular. Quando esta sofre elevação danos acabam sendo provocados no nervo óptico, causando com isto disfunções visuais.

O olho humano produz um líquido que recebe o nome de humor aquoso. Este é o responsável pela nutrição de certas estruturas. Após cumprir o seu papel o líquido precisa ser drenado. Esta entrada e saída do líquido provoca uma pressão considerada normal dentro do olho. Qualquer espécie de obstrução durante a drenagem acaba provocando alterações na pressão intraocular. A hipertensão é nociva ao nervo óptico, responsável por conduzir ao cérebro os estímulos visuais. Caso a situação não seja revertida, a constante hipertensão pode acabar comprometendo permanentemente a visão. Esta é, portanto, a situação que provoca um glaucoma.

Na realidade existem dezenas de tipos de glaucoma que, entretanto, podem ser divididos em quatro grupos principais: glaucomas crônicos de ângulo aberto, glaucomas agudos de ângulo fechado, glaucomas congênitos e glaucomas secundários. Independente do tipo o glaucoma é uma doença que deverá ser administrada por toda a vida. Mesmos pacientes submetidos a cirurgias de sucesso precisam continuar com exames e com medicamentos para sempre.

glaucoma

 

Agente causador

Os glaucomas crônicos de ângulo aberto costumam atingir idosos e, na maioria das vezes, ambos os olhos. Ele é causado devido à obstrução parcial da saída do humor aquoso por materiais que se acumulam nos canais ao longo dos anos. Os glaucomas agudos de ângulo fechado são provocados devido ao fechamento de uma câmara pela íris. A obstrução do humor líquido é total e a sintomatologia intensa.

Os glaucomas congênitos são raros e podem estar presentes desde o nascimento como vir a surgir pouco tempo depois. Nestes casos são tecidos anormais que impedem a drenagem do liquido. Já os secundários são provocados por causas múltiplas como traumas, uso de medicamentos, tumores, inflamações e hemorragias, por exemplo. Em todas as circunstâncias o humor líquido é barrado de alguma forma.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

O diagnóstico deve ser feito através da medida da pressão intraocular, já que é o aumento desta que leva ao desenvolvimento do quadro. Para tanto o médico irá realizar um minucioso exame do fundo do olho, principalmente do disco óptico e da cabeça. O campo visual também precisará ser estudado.

No início o glaucoma é assintomático e, portanto, de difícil diagnóstico. Geralmente, quando as pessoas buscam por ajuda médica o estado já está bastante evoluído e a visão pode estar seriamente comprometida. Caso não receba o devido tratamento, este transtorno costuma levar facilmente à cegueira.

glaucoma tem cura?

A doença tende a aparecer por volta dos 40 anos de idade. Portanto, todas as pessoas com esta idade ou mais precisam realizar exames de rotina e consultar um oftalmologista frequentemente, principalmente caso exista histórico da enfermidade na família.

Após a confirmação o tratamento deve ser iniciado o quanto antes. O líquido precisa ser drenado para que os danos deixem de ser causados. Em alguns casos as melhoras são significativas apenas através do uso de colírios e medicamentos específicos, em outros uma intervenção cirúrgica pode ser necessária.

 

Sintomas

Esta é uma doença assintomática no início. Com o passar do tempo e com o aumento dos danos no nervo óptico os problemas de visão tendem a aumentar. Primeiramente é a visão periférica que fica prejudicada. Após isto o campo de visão vai estreitando aindaglaucoma sintomas mais, até virar uma espécie de visão tubular. Caso não se busque por ajuda o campo fecha e a pessoa se torna cega.

Dependendo da causa do aumento da pressão intraocular os sintomas podem vir antes ou depois. Glaucomas agudos de ângulo fechado, por exemplo, promovem uma sintomatologia intensa. De modo geral, o que se espera de um glaucoma é:

  • Defeitos no campo visual;
  • Visão tubular;
  • Dificuldade para enxergar com clareza;
  • Fotofobia;
  • Elasticidade nos olhos.

Diante destes sinais não hesite em procurar por ajuda médica. Caso você tenha mais de 40 anos realize exames de rotina, pois o glaucoma não produz sintomas algum no início.

 

Prevenção

A principal medida preventiva neste caso é, sem dúvidas, a realização de exames de rotina. O glaucoma não gera sintomas no início e muitas vezes quando diagnosticado já pode ser tarde demais, portanto, esteja em dia com o seu médico e vá a consultas periodicamente.

Esta disfunção na drenagem do humor líquido pode também ser provocada por uma série de outras doenças como diabetes, cataratas ou uveítes, por exemplo. Desta forma, fique atento ao estado de sua saúde. Mantenha hábitos de vida saudáveis e uma dieta equilibrada. É muito importante buscar ajuda médica no instante em que algo de anormal acontecer. A maioria das doenças possui um diagnóstico bastante favorável quando diagnosticadas precocemente.

 

Tratamento

Este é basicamente clínico no começo, sendo feito com o uso de colírios e, em casos mais específicos, via oral. Glaucomas associados a outras doenças ou a distúrbios necessitam de um tratamento diferente. As causas precisam ser analisadas e os sintomas tratados.

Caso resultados favoráveis não sejam alcançados por meio de medidas clínicas o uso do laser pode ser considerado. A última alternativa é a decisão por uma cirurgia, já que esta envolve mais riscos. Através dela um canal será feito na região para possibilitar o escoamento do líquido. Glaucomas agudos de ângulo fechado precisam ser controlados imediatamente para que os danos não sejam grandes. Após isto, geralmente, a cirurgia é considerada.

Os glaucomas congênitos costumam também ser tratados com cirurgias, já que se faz necessário uma intervenção no tecido anormal. Apesar de se obter resultados favoráveis na grande maioria das cirurgias, esta é uma doença crônica que deverá ser monitorada pelo resto da vida. É extremamente importante que os medicamentos não deixem de ser utilizados e que o paciente sempre retorne para exames periódicos. Mesmo sendo assintomática em muitos casos ela não pode deixar de ser tratada, já que a perda do campo visual pode passar despercebida e é algo irreversível. Cuide bem da sua saúde para levar uma vida melhor. Qualquer dúvida converse com o seu médico.

TEMOS MAIS ARTIGOS PARA VOCÊ:

9 comentários em “Glaucoma | Sintomas, tem cura?

  1. ÓTIMA MATÉRIA !!! MUITO EXPLICATIVA !!! APÓS LÊ-LA, FUI AO OFTALMOLOGISTA, REALOMENTE A PRESSÃO OCULAR ESTAVA ALTA, ME PASOU COLÍRIO, FIZ NOVOS ÓCULOS E ESTOU ME TRATADO. ETOU MAIS CONFIANTE. OBRIGADO, PELA MATÉRIA EM PAUTA, FIQUEM COM DEUS EM NOME DE JESUS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>