GIARDÍASE | Causas, Sintomas e Tratamento

Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > GIARDÍASE | Causas, Sintomas e Tratamento

O que é giardíase?

Uma doença intestinal que é gerada por um protozoário que recebe o nome de Giardia lamblia. Muito frequente em locais com saneamento básico ruim ou ausente, a giardíase é transmitida, principalmente, através da água ou da comida contaminada com fezes de indivíduos doentes. Hábitos de higiene incorretos como colocar as mãos na boca ou hábitos sexuais como o sexo anal sem proteção também podem transmitir a doença.

Apesar de ser mais comum em locais com pouca higiene e falta de água tratada, esta complicação é muito recorrente em diversos locais do globo terrestre. Não é sempre, entretanto, que as pessoas contaminadas apresentam sintomas. Em crianças, quando não tratada, a giardíase pode gerar sérios problemas de saúde.

Quando alguém entra em contato com água, comida, solo ou algo contaminado com os cistos do protozoário Giardia lamblia ocorre a infecção. Estes cistos não são destruídos no estômago, pois o ácido estomacal é ineficaz nestes casos. Na realidade, dentro do ambiente estomacal os protozoários são estimulados a atingir a fase adulta, chamada de trofozoíta. Estes microrganismos se movem para o duodeno e, através de ventosas, grudam-se ao epitélio local. Em alguns casos a parede inteira do duodeno fica coberta de protozoários. Com isto, a absorção de nutrientes se torna seriamente prejudicada.

giardiase

 

Agente causador

O protozoário chamado Giardia lamblia é o grande vilão nesta história. Possui formato de pera e simetria bilateral. A fase dorsal costuma ser convexa e lisa. Já a ventral tem formato côncavo e apresenta uma estrutura que se assemelha muito a uma ventosa. Este microrganismo possui dois núcleos e oito de flagelos, os quais se originam nas bases.

A Giárdia é encontrada em forma de cistos ou de trofozoítos. Somente os cistos sobrevivem fora do corpo humano, apesar de ambos serem encontrados nas fezes dos doentes. Os cistos são, portanto, os responsáveis pela contaminação das fezes. Quando estes entram em contato com um ser saudável, adentram pelo organismo até o intestino delgado. Lá se reproduzem e liberam novos cistos através das fezes deste hospedeiro. O período de incubação varia de 1 a 4 semanas. Algumas vezes a contaminação pode ser assintomática.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

Conforme mencionado acima, muitas vezes a contaminação não provoca quaisquer sintomas. Porém, esta pessoa continua contaminando outras com os cistos nas fezes caso não haja o saneamento adequado ou hábitos corretos de higiene. Por não causar sintomas algum e por algumas vezes estes serem muito inespecíficos, pode ser um tanto quanto difícil o correto diagnóstico da doença.

É recomendado que todas as pessoas consultem um médico frequentemente para a realização de exames de rotina. Desta forma, pode-se fazer um bom monitoramento da saúde e descobrir problemas assintomáticos, como a giardíase. Quando esta se manifesta e produz sintomas logo um médico é procurado. Através de uma simples análise das fezes é possível se fazer o diagnóstico da doença.

Todas as pessoas com giardíase eliminam nas fezes cistos e trofozoítas. Estes últimos ficam se movendo ativamente e podem ser facilmente notados. Diante deste quadro, deve-se dar início ao tratamento imediatamente, mesmo que seja um caso assintomático. Isto porque, todos os contaminados contribuem para a disseminação da doença. O tratamento precisa ser realizado corretamente para que novas pessoas não venham a se infectar.

 

Sintomas

Estes são bem inespecíficos e variam de caso para caso. Na grande maioria das vezes a giardíase é assintomática, ou seja, não gera sintomas notáveis. Após a contaminação com os cistos, estes levam de 1 a 4 semanas para começar a agir no organismo. Quando produzem sintomas os mais notados são:

  • Diarreia aguda com fezes bem aquosas;
  • Fortes dores abdominais;
  • Fezes com excesso de gordura, devido aos problemas de má absorção;
  • Flatulência;
  • Distensão;
  • Náuseas;
  • Perda de peso.

 

Quando o número de protozoários no duodeno é muito grande pode haver até mesmo um perigoso de desnutrição. Isto porque, estes microrganismos grudam através da ventosa na parede interna do órgão formando uma espécie de tapete. Este “atapetamento” prejudica a absorção de nutrientes, principalmente a absorção de gordura. As fezes tornam-se gorduras e ricas em vitaminas lipossolúveis, as quais necessitam das gorduras para serem devidamente absorvidas.

 

Prevenção

giardiaMedidas simples de higiene como lavar as mãos antes de comer e após ir ao banheiro, por exemplo, já ajudam bastante na prevenção. Todos os alimentos, principalmente os que serão comidos crus, precisam ser higienizados e lavados em água corrente. A água precisa ser tratada antes do consumo. Caso não haja água tratada, esta deve ser fervida antes de ser tomada.

Todas as pessoas e animais que foram diagnosticados com giardíase devem receber o correto tratamento até o fim, para que não venham a contaminar outras pessoas. Saneamento básico é essencial para a prevenção desta e de diversas outras doenças. Desta forma fica dificultado o contato das fezes com a água e com os alimentos que serão consumidos pela população. Moscas e baratas também podem transportar os cistos da Giardia lamblia, portanto, mantenha sua casa sempre limpa e arejada.

Como em muitos casos a doença pode ser assintomática, é altamente recomendada a ida frequente a um médico e a realização de exames de rotina. Com isto sua saúde pode ser monitorada e as doenças devidamente tratadas.

 

Tratamento

Este consiste no uso de medicamentos indicados pelo médico especialista. Pessoas que trabalham em contato com crianças devem ficar afastadas destas até a cura total, pois em crianças pequenas a giardíase pode adquirir contornos bastante graves.

Quem trabalha no setor alimentício e está com a doença também deve ficar afastado, para quem não ocorra uma contaminação generalizada. É muito importante que o tratamento seja realizado até fim. Somente assim esta pessoa deixará de servir como hospedeiro.

Durante o tratamento os pacientes devem ingerir somente água tratada e alimentos muito bem higienizados, para que não ocorra uma reinfecção. O cloro não mata os cistos do protozoário, portanto, tanto a água quanto o alimento não podem ser unicamente tratados com cloro. Cuide da sua saúde, mantenha bons hábitos de higiene e consulte regularmente um médico.

Tags: , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!