Exame FAN

O que é o exame FAN?

É um teste muito utilizado com a finalidade de detectar doenças autoimunes em pacientes. A sigla “FAN” quer dizer fator antinuclear, em Portugal o exame é chamado de ANA, ou anticorpo nuclear. Normalmente nosso corpo reage à invasão de germes produzindo um número de anticorpos. Estes anticorpos são gerados pelo sistema imunológico que tem como função a proteção do organismo.  Pessoas que possuem doenças autoimunes acabam produzindo anticorpos para lutarem contra os próprios tecidos, células e proteínas do corpo.

As doenças autoimunes são caracterizadas por enfermidades nas quais o corpo humano combate ele mesmo. Ou seja, o sistema imunológico passa a produzir anticorpos na luta contra algum tecido, célula ou proteína. Isto porque, de alguma maneira, determinada estrutura do organismo é identificada como nociva à saúde. O resultado é a produção dos auto-anticorpos, anticorpos contra o próprio corpo.

Nestas situações eles não combatem bactérias, fungos, vírus ou parasitas. Pelo contrário, eles atacam elementos importantes para o bom funcionamento do organismo como as células. As doenças autoimunes podem ocorrer na pele, nos rins, nas articulações e no sistema nervoso, por exemplo, promovendo sérias complicações.

exame FAN

 

Quando é indicado

O fator antinuclear, ou FAN, é um grupo específico de auto-anticorpos que foi descoberto por volta de 1940 em pacientes portadores de lúpus eritematoso sistêmico. Estes anticorpos atacam o núcleo das células, sendo que entre eles há uma série de diferenças e cada tipo agride uma estrutura celular. Vários são os tipos de FAN e cada um está ligado a uma enfermidade em específico.

Muitas pessoas sadias podem ser portadoras de FAN em baixos valores, sem que sejam gerados quaisquer sintomas ou problemas de saúde.  Desta forma, um FAN positivo não é indicador de doença. Porém, sempre que houver suspeita de doença autoimune, o exame é indicado.

 

Como é o exame

O exame é realizado a partir de amostras do sangue do paciente em questão. Em um laboratório estas amostras serão analisadas e é possível que se identifique todos os anticorpos ali presentes. Um corante fluorescente é capaz de marcar cada tipo de anticorpo, então uma cultura de células humanas é misturada a este sangue.

Caso haja anticorpos que ataquem as estruturas das células humanas, estes irão migrar em direção às mesmas e acabarão fixados a elas, deixando-as fluorescentes também. Caso os anticorpos sejam do tipo que ataca o núcleo das células, o profissional verá na amostra uma série de células com núcleo fluorescente. Caso estes ataquem os citoplasmas das células, será possível ver vários citoplasmas brilhando. Assim por diante.

O exame será considerado um FAN não-reativo quando nenhuma parte das células ficar fluorescente, o que indica a ausência de auto-anticorpos. O procedimento é realizado várias vezes após uma série de diluições do sangue, sendo que só é considerado positivo após cerca de 40 diluições. Como uma parcela da população possui FAN positivo, este só será considerado preocupante após 160 diluições.

Além disto, existe mais de 20 tipos de imunofluorescência. Cada tipo descreve um modo de agir nas células humanas. Com isto é possível identificar padrões típicos de doenças como lúpus ou artrite reumatoide.

fator antinuclear

 

Quais são os preparativos

Para a realização do exame FAN (fator antinuclear) é importante seguir algumas indicações. Todo medicamento que é utilizado no dia a dia precisa ser informado ao médico, para que este decida ou não pela interrupção do mesmo. Após marcado o procedimento é indicado chegar ao local com certa antecedência.

No dia do exame é preciso fazer um jejum de 4 horas. O paciente deve ter a amostra retirada logo pela manhã. Para o exame é necessário a retirada de uma pequena quantidade de soro. As lactentes terão a amostra colhida entre as mamadas. O resultado tende a sair em média depois de 3 dias.

 

Riscos e efeitos colaterais

A retirada do soro para a posterior análise não envolve risco ou efeito colateral algum. O material será colhido e logo em seguida o paciente é liberado. O único risco envolvido neste caso é a não realização do procedimento.

A análise da amostra será feita em um laboratório. Uma série de doenças pode ser detectada com a imunifluorescência, portanto, diante de suspeitas não hesite em realizar o exame. É simples e rápido. O resultado sai em alguns dias e de acordo com o laudo é possível dar início a um tratamento.

 

O que ocorre após o exame

É preciso saber interpretar corretamente os resultados do exame, desta forma muitas doenças podem ser precocemente detectadas. Caso o exame dê negativo, a busca pela enfermidade deve ou não continuar, isto vai variar de acordo com o quadro clínico do paciente.

É possível haver resultados positivos falsos, pois alguns medicamentos e certas doenças podem provocar um FAN reagente. Entretanto, não é certeza de que se trata de uma doença autoimune. Algumas das enfermidades mais comuns que promovem FAN reagente são a mononucleose e o linfoma, por exemplo.

Caso o FAN positivo seja confirmado é necessário avaliar os sintomas do paciente e, com isto, iniciar uma busca mais específica, procurando os auto-anticorpos que poderiam estar relacionados às doenças suspeitas. O exame antinuclear é, portanto, o início de uma investigação para doença autoimune, sendo que ele sozinho não é capaz de certificar nenhum diagnóstico.

Após o procedimento o paciente deve esperar pela avaliação médica. Outros exames poderão ser solicitados para que um diagnóstico possa ser confirmado. Quando da certeza da doença deve-se dar início a um tratamento o quanto antes. A grande maioria das enfermidades que são precocemente diagnosticadas possui um bom prognóstico.

Não é necessário um cuidado especial depois do exame, porém isto varia dependendo do estado do paciente e da doença que está se buscando. As orientações do profissional devem ser seguidas após o exame FAN (fator antinuclear) de modo a evitar transtornos. Diante de quaisquer sintomas não hesite em procurar por ajuda. Alguns procedimentos são bem simples de realizar e podem trazer resultados significativos para a qualidade de vida. Realize exames de rotina e esteja em dia com as consultas médicas. Sua saúde precisa de atenção.

Tags: , , , ,

7 Comentários

  1. elza paula gomes almeida disse:

    eu ainda tenho muitas duvidas sobre o FAN mas fiquei muito satisfeita com as coisas que li, o meu exame deu reagente mas vou esperar pra ver o que meu medico ira dizer!

  2. maria de fátima mendes de souza chaddad disse:

    Meu filho ha 2 anos apresenta situações de inflamação no olho esquerdo, visão turva, olhos vermelhos e algumas vezes dor no olho. Temos ido a diversos oftalmologistas compatibilizar o diagnóstico e encontrar um tratamento adequado. Uns dizem que é uveite, outro disse que era glaucoma, o ultimo disse que era inflamação na íris e que com colírios era o tratamento. Um outro disse que era necessário pesquisar a causa, para tratar o problema. Estamos aquardando os resultados dos exames do Reumatologista (FAN). Outros exames deram negativo.

  3. maria de fátima mendes de souza chaddad disse:

    Por favor mandem alguma resposta. Sei que terei que ter um acompanhamento médico. É que o site de vcs despertou minha atenção conforme o Reumatologista falou. Agradecida.

  4. maria de fátima mendes de souza chaddad disse:

    Meu filho tem alergia a alguns componentes de remédios (anador, aesse), rinite alégica, picada de insetos, fungos, ácaros, etc

  5. maria nazare dias maranhão disse:

    Estou esperando o resultado do fan de minha filha que com um problema nos tendões do dorso da mão espero que não seja nada grave

  6. Jorge disse:

    aAchei a linguagem bem simples ,isso é muito importante para quem não é da área entender ,parabéns sou estudante de patologia clinica.

  7. AURISLANE disse:

    pessoas q fazem exames pra descobrir alguma problema de saude e ñ obeter nenhum resultado positivo pra algum tipo de doença e ela apresentar varios tipos de altrações pode esta relacionado ao FAN?

Deixe o seu comentário!