Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > ERISIPELA | Tratamento, fotos e informações

ERISIPELA | Tratamento, fotos e informações

O que é erisipela?

Uma infecção da pele que geralmente é causada por uma bactéria do grupo A nomeada de Streptcoccus pyogenes. Pode atingir tecidos mais profundos como o gorduroso e a derme profunda e causa uma série de transtornos.  A bactéria entra no organismo através de pequenas aberturas como ferimentos diversos na mucosa e na pele, picadas de inseto, micoses de unha e frieiras.

Ao penetrar no corpo humano por estes meios, o agente logo se dissemina pelos vasos linfáticos e pode atingir locais profundos, como o tecido subcutâneo.  A erisipela pode acometer pessoas de ambos os sexos e de todas as idades. Os locais mais agredidos são, normalmente, as pernas e os pés. Porém, já forma diagnosticados casos na face, no tronco e também nos membros superiores.

Pessoas portadoras de diabetes, além de constituírem parte da população mais vulnerável a esta doença, precisam fica atentas a qualquer tipo de ferimento nas pernas e nos pés. Isto porque muitas vezes a diabetes compromete a sensibilidade nestas regiões, desta forma, infecções podem se manifestar sem que perceba. É preciso, portanto, realizar uma vistoria local ao menos uma vez por semana.

erisipela tratamento

 

Agente causador

Através de lesões diversas a bactéria Streptcoccus pyogenes consegue penetrar no corpo humano. Micoses causadas por fungos, como as frieiras, por exemplo, servem de porta de entrada para a infecção. Assim como machucados, arranhões, bolhas, cortes, lesões em cutículas e picadas de inseto.

Pacientes que apresentem diminuição do número de linfáticos ficam mais predispostos à erisipela. Estes são, entre outros, os portadores de linfedema ou recentes saídos de uma mastectomia. Pessoas com insuficiência venosa crônica, obesos, cardiopatas ou imunossuprimidas tendem também a ficarem mais vulneráveis a uma infecção do tipo. É preciso estar atento aos machucados, principalmente a população de risco, para evitar não somente esta, como muitas outras infecções.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

As manchas provocadas pela presença da bactéria Streptcoccus pyogenes no organismo são bastante características e tendem a ter rápida evolução. Desta forma, logo que surgem os primeiros sintomas um médico é, geralmente, procurado. O diagnóstico clínico e uma conversa com o paciente costumam ser medidas satisfatórias para uma correta avaliação. Entretanto, a realização de exames laboratoriais é indicada para se excluir definitivamente outras complicações e também para o acompanhamento do tratamento. O hemograma é um dos mais indicados, já que neste tipo de infecção exames bacteriológicos não costumam surtir efeito.

Pessoas obesas, cardiopatas e com insuficiência venosa crônica que apresentem as manchas características, levam a uma maior suspeita de um caso de erisipela. Entretanto, também nestes indivíduos há a necessidade de fazer exames laboratoriais para a certeza do diagnóstico. Após confirmado o caso, deve-se dar início imediato ao tratamento. Casos de erisipela não tratados podem gerar sérias complicações de saúde.

erisipela

 

Sintomas

O início é súbito e vem acompanhado de febre e de calafrios. Cerca de 24 horas após a infecção uma placa eritematosa, dolorida e quente começa a surgir. Os membros inferiores são os mais agredidos, em especial as pernas. A lesão tende a ser única e extensa, progredindo em média 15 cm a partir do centro. Vesículas e bolhas flácidas com conteúdo translúcido são observadas em alguns casos. Portanto, os principais sintomas de uma erisipela são:

  • Vermelhidão e dor na região afetada;
  • Inchaço local;
  • Rápida progressão da lesão;
  • Bolhas e feridas, em alguns casos;
  • Mal estar generalizado;
  • Febre;
  • Aumento dos gânglios da região.

Diante destes sintomas procure imediatamente por auxílio médico. Uma erisipela não tratada corretamente pode progredir e gerar sérias complicações, como elefantíase nostra, infecção de difícil cura. Não realize automedicações e procure descobrir o tratamento mais adequado para o seu caso.

 

Prevenção

Algumas simples medidas podem atuar no sentido de se prevenir quadros de erisipela. Por exemplo, após o banho seque sempre muito bem todas as regiões, em especial as dobras como axilas, entre os dedos e a virilha. Locais como estes tendem a ser habitat ideal erisipela fotospara fungos, o que poderia ocasionar uma micose e, consequentemente, uma infecção bacteriana. Não ande descalço, para evitar a traumas na pele. Calçados muito justos também devem ser evitados, pois favorecem a formação de bolhas.

Troque de meias todos os dias e dê preferência as de algodão. Uma dieta equilibrada ajuda na redução do peso e, com isto, diminui as chances da infecção em questão. Patologias cardiovasculares também precisam receber o devido tratamento, com o intuito de impedir complicações como a erisipela.

Apesar das medidas preventivas serem simples, a prevenção desta doença consiste mais em reduzir os sintomas e acelerar a cura, já que é algo de fácil detecção e de prognóstico bastante favorável. Portanto, não hesite em procurar por um médico assim que surgirem os primeiros sintomas. Com o acompanhamento necessário e o uso dos fármacos a erisipela logo apresentará melhoras.

 

Tratamento

Antibióticos orais, repouso e elevação do membro acometido por cerca de 2 semanas serão as primeiras abordagens do médico para o tratamento. Pessoas com um bom preparo físico e boa saúde tendem a melhorar somente com estas medidas. Como a erisipela pode vir a resurgir, o uso de antibióticos precisa ser mais extenso em alguns casos. Pacientes diabéticos, portadores de patologias cardíacas ou que tenham insuficiência renal, precisam receber cuidados mais específicos.

O consumo de álcool deve ser cortado durante o tratamento, pois este intensifica o quadro. Uma boa alimentação ajuda a fortalecer o organismo e a combater a infecção. Diante de qualquer espécie de ferida, mancha ou lesão, não deixe de consultar um profissional. Somente ele poderá avaliar corretamente o seu caso e indicar o tratamento mais adequado. Complicações tardias são comuns em casos de tratamento incorreto ou ausente, podendo até mesmo levar à morte.

Não utilize medicamentos indicados por amigos em hipótese alguma. Todos os sintomas precisam ser avaliados por um médico especialista. Algo aparentemente simples pode ser, na realidade, uma manifestação de algo muito mais perigoso. Portanto, cuide bem da sua saúde e consulte um médico sempre que algo de errado estiver ocorrendo com o seu corpo. Uma séria doença pode estar sendo mascarada.

TEMOS MAIS ARTIGOS PARA VOCÊ:

12 comentários em “ERISIPELA | Tratamento, fotos e informações

  1. Fui diagnosticado com erisipela. Estou tomando o antibiótico Keflex e aplicando a pomada Candicort na região afetada (pé direito) e parece estar dando resultado. A consulta médica é imprescindível em qualquer caso, pois as consequências podem ser graves.

  2. Estou com erisipela na perna esquerda, sem ferida, fazendo uso de bezentacil de cinco em cinco dias , já estou na segunda dose até agora continuo com a perna inchada do joelho para baixo, estou aguardando melhora. Não sou diabético mas porcausa da infecção minha taxa de glicose está aumentada. Alguem pode informar experiência com esta doença. Aguardo.

  3. Bom dia
    Gostaria de saber se a formiga da espécie Odontomachus bauri pode adiquirir a bactéria Haemophilus influenzae tipo B e transmitir a Erisipela para uma pessoa através de uma picada no pé.
    atenciosamente

  4. Minha sogra é diabética e esta com a erisipela a 14 dias, esta fazendo todo o tratamento com antibioticos, e injeções, porem ela não quer mais andar, diz que a dor é insuportavel e só fica na cama, nem pra ir ao banheiro ela se levanta.
    Isso é normal?

  5. OI,minha mãe tem Irisipela,se machucou quando tinha 15 anos.Ela nunca fez tratamentoe diz que por isso não tem mais cura.Hoje ela esta com 54 anos e sofre com dor na perna.

    1. Boa tarde a todos, minha mãe tinha ela sofria muito com isso, ia nos medicos do sus e nada ficou um ano com as pernas cheia de feridas, de tanto tomar remedio e passar a pomada de calendúleas essa pomada estava queimando mais ainda a ferida.
      O cabelo dela até caiu, ai minha noiva que hoje é minha esposa me falou de um especialista em bh que se chama doutor cid levei ele e em duas semanas as ferias se fechou e ela ficou curada, ele passou uns remédios certo e uma pomada certa para ela passar que a deixou curada rapidamente para quem quiser ligar e marcar uma consulta com este medico ai esta o telefone 32232495 primeiramente foi Deus depois foi esse medico que ajudou.

      Responder

  6. a 6 anos sofro com um sintoma insuportavel, tenho um alergia que localiza sempre no mesmo lugaer na palpebra dos olhos coça, fica inchado e vermelho, e descama, no pescoço, acima dos joelhos coça muito e fica grossoentre o nariz e a bochecha des descamam e fica vermelho, uso remedio mas não adianta, me ajudem a saber o que realmente é, por favor..obrigada

    1. Ana Paula, também sofro com isso… em 2007 fiz exame e descobri que sou alérgica a alguns componentes do esmalte. Procuro sempre comprar da linha antialérgica, sem formaldeído e tolueno, mas de vez em quando a pele na região dos olhos e pescoço incomodam-me com irritações, coceiras inchaço, vermelhidão e até descamação, quando me exponho ao sol então, fico apavorada com o desconforto. Já usei várias pomadas por recomendação médica, melhora o quadro e depois volta, na verdade, eu não deveria pintar as unhas, mas não consigo… é uma luta sem fim. Faça o teste alérgico para descobrir se o seu caso é o mesmo. Boa sorte.

    2. Tenho os mesmos sintomas quando uso esmalte de unha comum, isso é alergia ao formaldeído e ao tolueno, procure usar os antialérgicos pois eles não possuem estes componentes em sua formulação. Os importados são os melhores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>