Dispepsia

O que é dispepsia?

É uma síndrome de alta prevalência, embora poucos pacientes procurem por ajuda quando estão com ela. A dispepsia é caracterizada por sintomas que possuem relação com o aparelho digestório alto, sendo uma manifestação de diferentes enfermidades, principalmente das doenças pépticas.

Os sintomas envolvidos são geralmente dores epigástricas e desconforto pós-prandial. A dor epigástrica é uma sensação desagradável proveniente de lesão tecidual. Já o desconforto pós-prandial é uma sensação estranha e parece que a comida ainda está no estômago mesmo após longos períodos.

A dispepsia pode ser dividida em diferentes tipos. A dispepsia funcional é aquela na qual os sintomas não possuem relação com enfermidades de base orgânica. Já a dispepsia orgânica é a que possui sinais vinculados a uma doença orgânica. A dispepsia não diagnosticada é a que possui os sintomas ainda não investigados.

Esta condição está geralmente associada a quadros de úlcera gástrica ou de gastrite. Entretanto, até mesmo doenças que não estão relacionadas com o estômago podem provocar a dispepsia, como a síndrome do intestino irritável. O tratamento costuma ser efetivo e rápido. Portanto, deve-se procurar um médico diante dos sinais clássicos. Não há necessidade de conviver com este incômodo.

Dispepsia

 

Agente causador

A dispepsia é uma manifestação comum em diferentes doenças. Podemos, por exemplo, destacar a gastrite e a úlcera péptica. Durante a gastrite o estômago fica inflamado. Esta inflamação pode ser proveniente do consumo de álcool, de medicamentos e até mesmo causada pela presença da bactéria H.pylori.úlcera péptica é provocada devido à ação do ácido clorídrico na parede dos órgãos. As principais causas desta condição é o abuso de medicamentos e a presença da bactéria H.pylori. Portanto, esta bactéria e o abuso de fármacos são agentes causadores da dispepsia. Além disto, o estresse e o hábito de fumar são também fatores a serem levados em conta para o surgimento de dispepsia.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

Quando o paciente sente o desconforto e a dor característica logo tende a procurar pelo auxílio de um médico. Este irá realizar um cuidadoso exame físico com a finalidade de detectar sinais e sintomas de uma dispepsia. A história clínica do paciente também pode ajudar, por este motivo uma conversa e o estudo de exames anteriores pode ser algo positivo.

O profissional costuma solicitar um exame de fezes para fazer uma pesquisa de verminoses. A endoscopia digestiva com biópsia é importante para estabelecer um diagnóstico preciso e afastar doenças mais graves. Por meio da endoscopia também é possível pesquisar a presença da H.pylori, bactéria causadora da úlcera péptica e da gastrite.

Para a certeza do diagnóstico o médico pode pedir uma ultrassonografia abdominal, para que outros órgãos possam ser avaliados, como o pâncreas e a vesícula biliar. Além destes exames outros poderão ser solicitados. Depende do estado do paciente e da vontade do profissional. Após a certeza do caso um tratamento deve ter início o quanto antes. A dispepsia pode ser controlada de forma efetiva.

dispepsia sintomas

 

Sintomas

A dispepsia é uma série de sintomas ligados ao estômago. Geralmente, os pacientes que estão sofrendo com a síndrome chegam ao médico reclamando de indigestão. Alguns dos sintomas clássicos ligados a esta condição são:

  • Queimação e dor no estômago;
  • Náuseas;
  • Plenitude após as refeições;
  • Sensação de que o estômago está distendido;
  • Azia;
  • Má digestão;
  • Excessos de arrotos;
  • Saciação precoce.

Diante destes sintomas é importante procurar por um médico. A dispepsia pode ser indício de alguma doença bastante séria do estômago. Alguns sinais são considerados de alarme para possíveis enfermidades graves como:

  • Perda de peso;
  • Sangramentos;
  • Vômitos;
  • Anemia;
  • Sensação de comida parada no estômago.

Estes sintomas estão geralmente relacionados a doenças graves do estômago. Caso estejam presentes não hesite em procurar por ajuda. Até mesmo um câncer de estômago pode ser decorrência de tal condição.

 

Prevenção

A dispepsia é provocada por uma variedade de fatores. Conforme mencionamos acima pode ser efeito do uso abusivo de medicamentos, de álcool, de drogas ou do fumo. Ela também está ligada a verminoses, a infecções, à depressão e ao estresse. Desta forma, algumas medidas preventivas seriam, por exemplo, adquirir hábitos de vida e de alimentação saudáveis.

Evitar situações de estresse e de ansiedade, evitar o consumo de álcool e cortar o hábito de fumar ajudariam neste sentido. O uso de medicamentos deve ser feito com cautela e sempre de acordo com ordens médicas. Nunca se deve realizar auto-medicações, já que o uso incorreto de fármacos além de piorar um estado pode mascarar sérias doenças. Praticar exercícios físicos e atividades de lazer ajuda a reduzir a ansiedade e o estresse. Bons hábitos de higiene diminuem a chance de infecções e de verminoses. Além disto, é importante consultar um médico periodicamente e realizar exames de rotina para manter o corpo bem monitorado. Principalmente se a pessoa for fumante e tiver idade superior aos 40 anos.

má digestão

 

Tratamento

O tratamento da dispepsia tem início com a eliminação das causas. Em certos casos também é possível realizar um tratamento apenas através da eliminação dos sintomas. Alguns medicamentos podem ser utilizados com o intuito de diminuir a secreção de ácido pelo estômago, como os antiácidos.

Quando a dispepsia é provocada pela presença da bactéria H.pylori antibióticos costumam ser indicados. Durante o tratamento fica vetado o uso de anti-inflamatórios ou de qualquer outro medicamento que possa irritar o estômago. O hábito de fumar também deve ser cortado.

Pacientes com histórico de depressão ou ansiedade precisam de um acompanhamento para que a dispepsia tenha melhora, já que estas situações provocam a síndrome. Deve- se evitar alimentos gordurosos, refrigerantes, cafés e ter um cuidado especial com a alimentação, caso contrário a síndrome volta a atacar. O sobrepeso também é um fator que influi para esta condição, portanto é preciso adquirir hábitos de saudáveis. As refeições precisam ser espaçadas e em pequenas quantidades, para não deixar o estômago vazio. Levando estas medidas em conta e fazendo o uso de antiácidos a dispepsia pode ser efetivamente controlada. Diante de dúvidas converse com um médico.

9 Responses

  1. Tenho dores no peito muito forte,escuto as batidas do coração na boca.Tenho refluxo julho 14, 2015 / 7:38 pm

    Quero saber como proceder,pois fiz endoscopia alta e deu dispepsia.Qual tratamento que devo tomar.

  2. ELIANA BARALDI maio 8, 2015 / 3:44 pm

    meus sintomas são, vomito em jato, diarreia, sudorese, parece que estou partindo dessa para melhor, se bebo agua ou algum remedio volta tudo em jato. Não sinto dores. Após passar esse mal-estar tenho a impressão que não tive nada.

  3. ivani abril 10, 2015 / 2:58 pm

    hoje estou com hemorróidas,ou talvez plicoma ou ainda outra enfermidade,tambem nao vejo interesse em investigar vou ao médico ,eles passam pomadas ,banho de acento,e ibrupofeno para dor,voces acham que uma hemorróida dói por quatro meses,parei minha vida nao consigo fazer nada de tanta dor,quando evacuo parece que vai descer até o coraçao de tanta dor,preciso uma soluçao para o problema e nao coisas palhiatórias,estou sofrendo muito a cada dia….

  4. KLEISON DUQUE outubro 30, 2014 / 11:11 am

    Prezados amigos, estou há 5 meses com dispepsia e até agora nada. Fiz endoscopia que deu gastrite, fiz o tratamento com omeprazol e nada. Hoje o que me irrita é a sensação de salivação excessiva e uma necessidade de está comendo constantemente. Isso me dar a impressão de que melhor. Será?

    • Sandra novembro 23, 2014 / 9:49 am

      Olá! Tbm estou com dispepsia e o remédio q foi bom é o digeplus (1 cápsula após principais refeições) tirando toda gordura das refeicoes como chocolate, carne vermelha, ovos, café e chás a base de cafeína. Comer pouco de 2 em 2 horas. Muito líquido. Demora uns dez dias para curar-se. Desejo melhoras a todos. Fiquem com Deus!!!

    • ivani abril 10, 2015 / 2:51 pm

      amigo omeprazol nada mais é um revestimento da mucusa do estomago,nao cura gastrite,ulcera etc,ele nao é tratamento muito embora quase todos os médicos indicam ele,sem avaliar ou explicar isso ao paciente,voce precisa se imformar melhor sobre omeprazol,volte ao médico e peça uma cura e nao algo palhiatório como esse medicamente….

  5. evaristo massasse outubro 29, 2014 / 11:39 am

    gostei deste tema pos fiquei com stress e ansiedade
    sera que o mel ajuda na despepsia?

  6. shirleycustodiocruz agosto 30, 2014 / 6:59 am

    Legal,assim você contém informações complementares

  7. Andrezza agosto 15, 2013 / 6:18 am

    EXCELENTE SITE!!! PARABÉNS!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *