CIRROSE Hepática | Sintomas, tem cura?

Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > CIRROSE Hepática | Sintomas, tem cura?

Cirrose

A cirrose, também chamada de cirrose hepática, afeta mais o sexo masculino e homens com idade a partir de 45 anos. No entanto, o uso abusivo de álcool e medicamentos fortes, como antibióticos, está aumentando o número de afetados.

Saiba mais aqui sobre esta doença crônica.

 

O que é?

A cirrose acontece quando o fígado, em vez de produzir células saudáveis, bile e outros agentes, produz tecido fibroso e nódulos que bloqueiam a circulação sanguínea. Esta reação nada mais é do que o fígado produzindo incessantemente tecido de cicatrização.

Com o tempo, o fígado afetado deixa de cumprir suas funções primárias como regular o açúcar do sangue, metabolizar gorduras, produzir proteínas necessárias ao nosso corpo, controlar o nível de colesterol e absorver medicamentos e o próprio álcool.

A principal causa da cirrose é o alcoolismo ou consumo exagerado de álcool, mas além deste, outros fatores podem levar ao aparecimento da doença. Entre eles, a presença de hepatite B e C, o uso prolongado ou não de alguns medicamentos e a hepatite autoimune.

O uso exagerado de álcool é determinado pelo consumo diário maior que 50 gramas, em média, para homens e mulheres. A cirrose alcoólica reduz doze anos de vida útil do paciente, mais que doenças cardíacas (dois anos) e câncer (quarto anos).

cirrose hepatica

 

Sintomas

Se você é diabético, usa medicamentos fortes com frequência ou sabe que consome álcool acima da média, deve fazer exames de rotina sempre que possível, pois a cirrose pode evoluir por muitos anos sem causar desconforto algum.

No entanto, alguns sintomas podem aparecer, como náusea, vômito, dores abdominais, perda de peso, prisão de ventre, inchaço abdominal ou no próprio fígado, icterícia, urina muito escura, inchaço nos membros inferiores, perda grande de cabelo e uma doença chamada ascite, que significa presença de líquido na cavidade abdominal.

 

Evolução

A cirrose é uma doença irreversível que, se não tratada, é fatal. Isso se agrava pelo fato de que a cirrose pode evoluir a passos rápidos por muitos anos, sem provocar sintoma algum.

Isso faz que quando o paciente perceba os sintomas, a doença já esteja muito avançada. Daí a importância de certos grupos considerados de risco fazerem sempre os exames preventivos de físico e de sangue.

Em 40% dos casos, a cirrose é assintomática. Se você é homem, tem mais de 45 anos ou toma remédios fortes e consome álcool, fique atento aos sinais do seu corpo. Quanto mais no início a doença for detectada, maiores as chances de interromper seu progresso e garantir ao paciente mais tempo de vida útil.

 

Tratamento

Geralmente, para diagnosticar uma cirrose, o médico leva em conta uma série de fatores anteriores, como o estilo de vida, doenças hepatológicas já existentes, entre outros.

Após esta entrevista, ele geralmente vai pedir uma ultrassonografia, ou, para mais apuração ainda do quadro, uma ressonância ou tomografia abdominal.

cirroseSe diagnosticada a cirrose, infelizmente não há tratamento eficaz para ela. O que pode ser feito pelo médico é a contenção da evolução do quadro, eliminando as causas de agressão ao fígado ou doenças hepáticas que estejam levando ao quadro de cirrose.

Dessa forma, o médico pode retardar bastante o aparecimento de sintomas desconfortáveis, como o inchaço abdominal, a fadiga e a confusão mental, e fatais, como a hemorragia digestiva e o câncer no fígado.

O único tratamento disponível e que cura definitivamente a cirrose é um transplante de fígado. O paciente tem seu fígado cirrótico substituído por um fígado inteiro (no caso de doador falecido) ou por parte dele, no caso de doadores vivos.

Esta técnica foi muito aprimorada com a evolução da medicina e tem taxas de sucesso cada vez mais altas.

Para se prevenir, é importante diminuir o consumo do álcool, usar preservativos e não compartilhar seringas injetáveis para evitar a contaminação com a hepatite B e a hepatite C, cuidar de perto de doenças no fígado que já existam e vacinar-se contra a hepatite B para evitar o contágio desta doença.

Se você faz parte de algum dos grupos de risco, procure imediatamente um médico e faça sempre um acompanhamento detalhado de suas funções hepáticas. Quanto mais no início se descobre a cirrose, maiores são as chances de reconquistar uma vida confortável e produtiva.

Tags: , , , ,

1 Comentário

  1. ROSE disse:

    MEU ESPOSO TEVE CIROSE HA UM ANO ATRAS , QUERO SABER SE TEM POSSIBILIDADE DE VOLTAR ELE PAROU COM OS MEDICAMENTOS E NÃO VOLTOU MAIS AO MEDICO E VIVE COM COSEIRAS NAS PARTES INTIMAS NA CABEÇA NAO DORME DIREITO QUERO SABER QUE DEVO FAZR DES DE JA OBRIGADA BOM DIA !

Deixe o seu comentário!