Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Exames/Procedimentos > Cintilografia

Cintilografia

O que é cintilografia?

É um procedimento utilizado pela medicina nuclear que auxilia na detecção e no tratamento de doenças diversas. Durante o exame pequenas quantidades de substâncias radioativas são introduzidas no corpo. A dose pode ser ministrada via oral, veia ou por inalação. Estas substâncias são atraídas para locais específicos do organismo e lá produzem emissões, funcionam, portanto, como espécies de “traçadores”.

O paciente fica posicionado da forma necessária para o exame dentro de uma câmara especial capaz de captar e de interpretar os dados emitidos. Através da câmara de cintilação as imagens geradas são registradas. Estas serão, posteriormente, estudadas pelo médico nuclear que dará um veredicto.

É um método bastante eficiente e muito utilizado. Não produz desconfortos e possui poucas contraindicações. Apesar do uso de substâncias radioativas, a saúde do paciente não fica em risco. Provoca efeitos colaterais mínimos e é sensível o suficiente para detectar alterações nos órgãos em questão.

Dentre os diferentes tipos de cintilografia que estão disponíveis podemos destacar, por exemplo, a pulmonar, a óssea, a renal, a hepatobiliar, a da tireoide e a do miocárdio. Em todas as cintilografias é possível fazer um estudo da condição local e das suas estruturas.

cintilografia

 

Quando é indicado

Este método pode ser indicado para uma variedade de casos, tanto de diagnóstico como de tratamento. É um dos procedimentos mais utilizados na detecção da doença arterial coronariana, por exemplo, já que permite avaliar a presença ou não da lesão, a sua localização e a sua extensão.

É também um exame muito usado para estudar a importância de uma lesão registrada em angiografia, assim como para estudar dores torácicas. Em tratamentos a cintilografia é indicada para a avaliação do prognóstico. Também é muito utilizada no pré-operatório, para que os riscos sejam medidos.

Na oncologia costuma ser aplicada para avaliar cânceres primários. Na endocrinologia para detectar hipo ou hipertireoidismo. Doenças ósseas podem ser diagnosticadas com a cintilografia, assim como as metabólicas. Infecções e obstruções urológicas podem ser indicadas via esta este exame, assim como sangramentos gastrointestinais e refluxos gastroesofágicos.

 

Como é o procedimento

A cintilografia possui muitas utilidades e o procedimento pode variar um pouco de acordo com a região a ser estudada. Geralmente há uma pequena entrevista com o médico nuclear antes do exame. Este irá indagar o porquê do método e qual é a doença que está sendo cintilografia osseabuscada. Mulheres grávidas ou em período de amamentação não devem realizar o exame, já que o feto é muito mais sensível às doses de radiação. Portanto, caso esteja nestas condições avise o profissional.

O traçador será aplicado via oral, por veia ou por inalação. É preciso esperar um certo tempo para que as substâncias cheguem ao local desejado no organismo. Após o período estimado o paciente é posicionado dentro da câmara de radiação. A posição varia de acordo com o local a ser analisado. Deve-se procurar ficar imóvel durante todo o procedimento, respirando lentamente.

Após as imagens serem registradas a pessoa já pode sair da câmara. Os traçadores não provocam efeitos colaterais e a eliminação pode ser estimulada através da ingestão de bastante água. O especialista irá analisar o resultado e então enviar um laudo para o médico que solicitou a cintilografia.

 

Quais são os preparativos

Na grande maioria das vezes não são necessários muitos preparativos. O jejum é descartado e a pessoa pode se alimentar normalmente no dia e na data anterior ao exame. Antes e depois do método costuma ser solicitado ao paciente que ingira bastante água.

Mulheres grávidas ou que estão amamentando devem informar ao profissional sua condição, assim como pessoas que fazem uso de fármacos diversos no dia a dia. É importante vestir roupas confortáveis e sem peças metálicas para o procedimento. Joias, brincos e pulseiras precisam ser retirados, portanto, é aconselhável já ir sem. Cintos grandes com fivelas metálicas também precisarão ser retirados, é bom evitar. Não é preciso comparecer ao laboratório acompanhado. Nenhum tipo de sedativo será aplicado e a pessoa poderá ir embora sozinha ao término da cintilografia.

 

Riscos e efeitos colaterais

Mulheres grávidas ou que estejam amamentando não devem realizar o exame. O feto é sensível a doses baixas de radiação e os traçadores poderiam ser eliminados no leite. Pessoas que fazem uso constante de medicamentos no dia a dia precisam informar o médico nuclear da condição, para que este possa avaliar corretamente se há ou não riscos envolvidos. Entretanto, na grande maioria das vezes não existem contraindicações.

Os efeitos colaterais costumam ser nulos. Os traçadores não tendem a provocar reações alérgicas e a exposição à radiação é a menor quanto comparada a outras técnicas de imagem. A cintilografia é indolor, não invasiva e eficiente. Após o exame a vida pode seguir normalmente até que o resultado saia. Este costuma ser entregue em cerca de dois dias.

cintilografia-exame

 

O que ocorre após o exame

Após o término do procedimento o paciente pode ir para casa. Este estará apto a caminhar e a guiar sozinho. O resultado do exame será entregue para a pessoa ou para o médico em cerca de dois dias. Caso algo incomum seja diagnosticado outros exames podem ser solicitados. Quando há a certeza do diagnóstico um tratamento deve ser iniciado.

Os indivíduos submetidos à cintilografia podem trabalhar após o exame. Fica proibido, entretanto, caso o trabalho envolva contato com gestantes ou crianças de colo. Após o procedimento é preciso esperar pelo menos 24 horas para entrar em contato com estas mulheres e crianças, pois o nível de radiação precisa chegar a um valor insignificante. Pessoas que exercem funções em berçários, creches ou escolinhas precisam solicitar ao médico um atestado de afastamento. Além disto, recomenda-se ingerir bastante líquido nas horas subsequentes ao exame, para ajudar na eliminação das substâncias ministradas.

A cintilografia é um método não invasivo e que não costuma provocar efeitos colaterais. Normalmente o pós-exame é bastante fácil de lidar. Em casos de incômodos ou reações estranhas contate um médico imediatamente, para que ele possa avaliar o que estiver ocorrendo. Não utilize medicamentos diante de sinais quaisquer. Somente um profissional pode tomar esta decisão.

Tags: , , , , ,

5 Comentários

  1. iasmin disse:

    Gostei bastante por que me ajudou a entender este assunto.

  2. eugenia florio novellino disse:

    gostaria de saber ,uma pessoa que faz uma cintilografia óssea após o exame com contraste radioativo fica emanando radiação para outras pessoas por quanto tempo.obrigada

  3. Gerusia disse:

    Gostaria de saber quanto é o exame Cintilografia Óssea, se tem desconto para idoso.

    Att.

    Gerusia

  4. flavia disse:

    Olá sou enfermeira e estou gravida de 12 semanas e injetei substância radioativa em um paciente para realizar exame de cintilografia gostaria de saber se é prejudicial para o bebê estou muito aflita com medo, desde já agradeço.

  5. Ionara Fábia de Araújo disse:

    Gostei muito da explicação, pois minha mãe vai realizar um exame desse e eu compreendi o procedimento após a leitura desse site.

Deixe o seu comentário!