CEFALEIA | Dor de cabeça…

Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > CEFALEIA | Dor de cabeça…

O que é cefaleia?

Este é um mal que acomete muitas pessoas. Provavelmente quem ainda não teve cefaleia virá a ter algum dia na vida. Mais popularmente conhecida como “dor de cabeça”, as cefaleias podem ser divididas segundo a etiologia, o modo de instalação e também de evolução. A enxaqueca é muitas vezes utilizada com sinônimo de dor de cabeça. Esta é, entretanto, apenas um dos mais de 250 tipos de cefaleia já registrados.

As cefaleias podem ser do tipo primária, por exemplo. Nestes casos ela ocorre isoladamente, sem possuir ligações com alguma patologia. Pode também ser um sintoma de infecções, de sangramentos ou de alguma doença em desenvolvimento. Nesta situação ela recebe o nome de cefaleia secundária.

As dores de cabeça variam bastante em intensidade, região acometida e causa. A enxaqueca, por exemplo, é caracterizada por uma dor que já vem latejando há mais de 72 horas em apenas um dos lados da cabeça. Pode também vir acompanhada de náuseas, intolerância a luz e a movimentos. Para que um tratamento seja efetivo é bom um diagnóstico diferencial, o que pode ser um pouco complicado, já que existem tantas variedades de cefaleia. O importante é que, diante de sinais, consulte-se um médico. É preciso descobrir a causa da dor e verificar se há relação com algo mais problemático, como uma doença em desenvolvimento.

cefaleia dor de cabeça

 

Agente causador

As causas de uma dor de cabeça são variáveis. Quando esta é de origem primária pode ter um caráter hereditário ou multifatorial, por exemplo. Quando é secundária possui relação com alguma patologia e pode se manifestar de forma aguda, crônica e subaguda.

Hemorragias intracranianas ou infecções como encefalite e meningite tendem a ocasionar quadros de cefaleia aguda. Punções lombares ou exercícios físicos intensos também podem atuar como fatores desencadeantes deste tipo de dor de cabeça.

As subagudas costumam ter relação com doenças inflamatórias, com tumores e hipertensão. Já as crônicas são geralmente primárias, porém também podem ser decorrentes de alguma disfunção patológica.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

É preciso conversar com o paciente e realizar uma série de exames físicos e também neurológicos para poder se chegar a um diagnóstico diferencial. Pessoas com dor de cabeça frequente ou intensa tendem a procurar por ajuda médica. A função deste cefaleiaespecialista será descobrir a causa do incômodo. Conforme mencionado acima, a cefaleia pode ser uma decorrência de diversas doenças, portanto necessita de atenção.

Histórico familiar também pode ajudar no diagnóstico, já que muitos são os casos de cefaleia hereditária. Porém, caso haja a suspeita de que se trata de algo mais grave o médico pode solicitar exames como ressonância magnética do crânio, tomografia do crânio, raio-x e eletroencefalograma. Também pode ser necessário a realização de alguns exames laboratoriais como análise do liquor e de material da artéria temporal.

A grande maioria dos casos de cefaleia possui diagnóstico clínico, porém, em casos mais específicos pode ser preciso a realização destes exames para se obter uma certeza. Após a detecção da causa e do tipo de dor de cabeça o tratamento pode ser iniciado.

 

Sintomas

As cefaleias podem vir acompanhadas de alguns sintomas. Estes ajudam, inclusive, no diagnóstico diferencial.  Circunstancias que desencadeiam quadros são, por exemplo, consumo excessivo de álcool ou de queijos. As dores de cabeça podem ser antecedidas por alguns sinais. Irritação, depressão, alterações visuais, falta de apetite, astenia e surgimento de pontos luminosos na visão são alguns deles.

O que normalmente se sente durante a cefaleia é:

  • Dor pulsátil ou latejante;
  • Sensação de aperto na cabeça;
  • Mal estar;
  • Intolerância a luz, ao barulho e a movimentos.

A dor pode estar localizada apenas em um lado da cabeça, apenas na frente ou distribuída por vários pontos. Pode ter caráter latejante, ardente, de fincadas, pulsátil, fraco, intenso, gradativo ou constante. São muitos os tipos de cefaleia e seus sintomas. É preciso consultar um médico para avaliar corretamente o quadro e poder dar início ao tratamento mais adequado.

 

Prevenção

Uma boa alimentação é medida preventiva para não somente esta, como várias outras doenças. Um organismo saudável fica forte e protegido de infecções e de outras complicações. Manter bons hábitos de higiene também ajuda na prevenção de uma série de dor de cabeça cefaleiasdoenças. Evite fumar, consumir álcool e não utilize drogas. Estas substâncias podem agravar crises e provocar diversos transtornos de saúde.

Cefaleias crônicas incomodam muito e existem alguns medicamentos que podem ser utilizados no sentido de espaçar as crises e diminuir a intensidade das mesmas. Estes devem ser utilizados diariamente e por períodos prolongados. É uma espécie de prevenção para novas crises.

Medidas simples e que não exijam o uso de fármacos também podem ser adotadas. Por exemplo, ingira bastante água sempre, evite situações de stress, evite passar muitas horas sem comer e também passar muitos dias sem uma boa noite de sono. Além disto, é comum quadros de cefaleia no período da TPM, portanto, prepare-se para enfrentar a situação. Evite alimentos que contribuem com a dor de cabeça como leite de vaca, café, frango, adoçantes, massas, margarina e frituras.

 

Tratamento

Este depende do diagnóstico que foi estabelecido. Diversas podem ser as causas de uma cefaleia, com isto, o tratamento se torna bastante variável. Em casos mais graves, como quando a dor de cabeça é gerada por alguma hemorragia ou infecção, é preciso haver internação hospitalar e se realizar uma série de procedimentos cirúrgicos. Quando é sintoma de alguma patologia mais amena ou até mesmo quando é do tipo primária, geralmente, ela é tratada através do uso de analgésicos, relaxantes musculares e outros fármacos específicos para o tratamento da cefaleia.

Dependendo do caso a dor pode passar rapidamente. Em algumas situações o tratamento precisa ser mais prolongado. Evitar ambientes muito iluminados, com barulho ou movimentação ajuda a reduzir a intensidade da dor. A cefaleia não costuma ser algo preocupante e é bastante comum. Entretanto, como pode ser um sintoma de algo mais grave, é extremamente indicado que se procure por auxílio médico caso esta seja muito intensa, frequente ou prolongada. É preciso fazer uma análise para obter certeza da causa do problema.

Tags: , , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!