Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Doenças > Broncoespasmo

Broncoespasmo

O que é broncoespasmo?

É o estreitamento da luz bronquial devido à contração da musculatura de tubos que recebem o nome de brônquios. É pelos brônquios que o ar entra e sai dos pulmões. Quando há este estreitamento ocorre dificuldade para respirar. O broncoespasmo também pode definido como uma contrição das vias áreas pequenas, sendo esta reversível.

Várias são as situações que podem levar a um problema como este nos brônquios. O hábito de fumar, por exemplo, é um importante fator influenciador. Muitas patologias possuem o broncoespasmo como sintoma. Geralmente é devido a inflamações na mucosa bronquial que a passagem do ar fica dificultada. Exercícios físicos também podem induzir a esta contração involuntária dos músculos.

Na grande maioria dos casos os sintomas são facilmente amenizados. O uso de broncodilatadores costuma ser eficiente e há uma série de medicamentos que podem ser utilizados para a prevenção. A recorrência dos broncoespasmos pode ser reduzida, assim como a sua severidade. Para tanto é imprescindível que a pessoa busque por auxílio médico e siga à risca as orientações e o tratamento. O broncoespasmo pode atrapalhar muito a vida de uma pessoa, levando esta a realizar apenas movimentos contidos. Portanto, não deixe de procurar por ajuda para poder levar uma vida melhor.

broncoespasmo asma

 

Agente causador

Inflamações na mucosa bronquial são as principais causas do broncoespasmo. Estas inflamações fazem com que os músculos dos brônquios se contraiam provocando um estreitamento na região. Poeira, tabaco, fumaças, vapores metálicos, fármacos e muitos outros fatores podem provocar uma inflamação local.

Os broncoespasmos também costumam ser induzidos devido à prática de atividades físicas. Nestas situações o volume respiratório é diminuído, provocando alterações na resistência. Reações contrárias podem ser geradas por broncodilatadores, portanto é preciso ficar atento. A asma é uma doença muito associada a esta manifestação, assim como o bronquiolite.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

Quando há a suspeita de tal complicação um médico logo deve ser procurado. Diante do quadro clínico e após uma conversa com o paciente o profissional já começa a suspeitar da enfermidade. Um exame bastante simples chamado de espirometria costuma ajuda no broncoespasmodiagnóstico. Neste procedimento o volume de ar que entra e que sai dos pulmões é medido com a ajuda de um aparelho. A pessoa assopra e os níveis são avaliados.   Apesar do exame ser rápido e indolor ele não consegue detectar broncoespasmo em indivíduos com asma que estejam fora de crise. Desta forma, algumas outras medidas podem ser necessárias para que se estabeleça um diagnóstico diferencial.

Testes terapêuticos que fazem uso de medicamentos para tratar broncoespasmo costumam ser induzidos. Pessoas com o resultado do exame de espirometria alterado podem ser requisitadas a fazer uso dos medicamentos e depois realizar novamente o teste. Para que o tratamento seja efetivo é preciso se excluir uma série de doenças relacionadas à obstrução de vias aéreas, falência de ventrículos, hiperventilação, entre outras. Diante de qualquer sinal que seu corpo esteja lhe enviando não deixe de procurar por ajuda médica. A grande maioria das doenças quando precocemente detectadas possui prognóstico positivo.

 

Sintomas

A contração da musculatura dos brônquios leva a um estreitamento na região e a uma dificuldade de se respirar. O principal sintoma do broncoespasmo é, portanto, a falta de ar. Esta falta de ar pode vir associada a um chiado e a uma pequena dor no peito. A falta de ar acaba fazendo com que a pessoa faça mais esforço para respirar, o que leva a um aumento da frequência respiratória e, muitas vezes, a crises de tosse.

Pode ocorrer tontura e fraqueza. Os sintomas tendem a variar um pouco de acordo com a idade do paciente, com a severidade do estreitamento e com estado do organismo acometido. Caso o broncoespasmo seja manifestação de alguma outra patologia virá acompanhado de todos os sintomas desta.

A falta de ar é um sintoma que pode ser facilmente amenizado via uso de fármacos específicos. Casos mais graves necessitam muitas vezes de internações em hospitais. É preciso seguir o tratamento à risca para evitar que os sintomas se fortifiquem. A recorrência destes também pode ser controlada.

 

Prevenção

A inflamação das mucosas bronquiais é um dos principais fatores que desencadeia broncoespasmos. Portanto, é preciso ficar atento a situações que possam levar a tal complicação. Muitas pessoas são alérgicas a poeira, a pólen, a pelos de animais e a uma série de outras coisas. O ideal é tentar descobrir qual fator desencadeia os broncoespasmos e evitar o contato com o mesmo. Locais muito fechados e onde há ar condicionado, por exemplo, precisam ser evitados por pessoas que, porventura, manifestem tais sintomas.

O tabaco é uma substância que contribui significativamente para a constrição muscular dos brônquios. O hábito de fumar deve ser cortado, pois só traz prejuízos à saúde. Atividades físicas precisam ser realizadas com parcimônia quando broncoespasmos forem comuns de ocorrer. O aumento da defesa do organismo também pode ser estimulado. É aconselhável ingerir legumes e verduras diariamente e manter uma dieta equilibrada.

asma

 

Tratamento

Quadros leves de broncoespasmos podem ser tratados com o uso de broncodilatadores de rápido alívio. Estes costumam ser administrados por aerossol ou por nebulização. Alguns medicamentos podem ser tomados antes de atividades físicas. Outros possuem duração de até mesmo 24 horas. Os sintomas podem, portanto, serem amenizados ou evitados.

Quando o caso é mais grave ou bastante extenso, faz-se também o uso de corticoides. Estes são administrados via intravenosa ou via oral. Além do uso de medicamentos, para que o tratamento seja efetivo o tabaco deve ser cortado, assim como a exposição a fatores de risco deve ser controlada. Casos de broncoespasmos fatais são raros. O paciente deve ser monitorado até que os sintomas diminuam consideravelmente ou sumam.  A qualidade de vida pode melhorar muito com o uso dos broncodilatadores, portanto, não deixe de buscar por ajuda para receber o tratamento mais adequado.

A grande maioria das complicações pode ser controlada quando precocemente diagnostica. Realize exames de rotina e visite periodicamente um médico. Desta forma seu corpo estará sempre monitorado e a sua saúde protegida de agressões diversas.

TEMOS MAIS ARTIGOS PARA VOCÊ:

7 comentários em “Broncoespasmo

  1. tenho 24 anos e tenho chiado no peito e um miado de gato e quando tomo nebulizaçao. com atrovem que tusso sai um catarro branco e trasparente de meu pulmao e gelatinozo trasparente, tenho q tomar nebulizaçao dia sim dia nao pra evitar esse chiado oq sera isso efisema bronquite ??????????

  2. Minha filha de 1 ano e 10 meses tem asma e fica muito internada com pneumonias,semana passada ela foi internada duas vez no intervalo de 15 dias por ela ter asma as pneumonias são frequentes? Ou será que pode ser outro problema.

  3. ESTOU TOMANDO COMBIRON FOLICO E ANDO SENTINDO FALTA DE AR E LENDO A BULA DIZ QUE COMO REACOES ADVERSAS PODE OCORRER BRONCOESPASMO,PODEREI DESEMCADEAR ESTE TIPO DE PROBLEMA DEVIDO AO USO DO COMBIRON.

    1. Tambem estou tomando combiron folico a mais de 15 dias e estou sentindo muita falta de ar e dor no peito. Este medicamentos pode estar desencadeando um broncoespasmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>