Você está em: Saúde, Doenças e Medicina > Artigos sobre Saúde > Doenças > Arritmia Cardíaca

Arritmia Cardíaca

O que é arritmia cardíaca?

É uma alteração no ritmo normal do coração. As arritmias podem fazer este órgão bater de forma mais rápida, mais lenta ou até de forma irregular. Também é uma complicação muito conhecida pelo nome de ritmo cardíaco irregular ou ainda de disritmia.

Os batimentos do coração seguem um ritmo bastante regular e mecânico, graças às células geradoras de energia, uma espécie de marca-passo natural. Este órgão é composto por duas bombas que ficam separadas por um septo vertical. Ele possui a finalidade de impulsionar o sangue rico em oxigênio e em nutrientes para todo o organismo e depois de trazê-lo de volta através das veias. O coração bombeia o sangue quando se contrai e puxa de volta quando relaxa.

Este sistema possui um ritmo que varia de acordo com cada situação fisiológica. Por exemplo, quando realizamos alguma atividade física o sangue precisa circular mais rápido, para a devida oxigenação do organismo, desta forma, o ritmo fica mais intenso. Em repouso, este pode diminuir em intensidade, já que a necessidade de oxigenação decai. Desacertos neste ritmo ou a indevida condução do sangue pelo coração é o que dá origem à maior parte das arritmias cardíacas. Este quadro precisa ser monitorado e receber o devido tratamento.

arritmias cardiacas

 

Agente causador

Diversas podem ser as causas que levam a uma arritmia. Doenças do músculo cardíaco, como miocardiopatias ou mesmo insuficiências cardíacas, são alguns dos principais fatores.  As artérias coronárias, quando doentes, também promovem risco para a complicação. Doenças infecciosas, como o mal de chagas, ou outras valvulares também se enquadram como agentes causadores.

A arritmia pode ainda ser congênita, estando presente desde o nascimento, ou provocada por alterações nas concentrações dos eletrólitos. Cirurgias cardíacas também podem levar a quadros de arritmia durante o período de pós-operatório. O descompasso cardíaco compromete o funcionamento do corpo inteiro. Esta é, portanto, uma situação que necessita do devido cuidado.

 

Como se descobre a doença (diagnóstico)

Quando o especialista recebe um paciente que reclama dos sintomas característicos da arritmia, algumas medidas devem ser tomadas para que a situação seja esclarecida. Alguns descompassos podem ser benignos. Outros podem ser indicativos de que algo não vai bem. Doenças no coração costumam vir acompanhadas de arritmias e, portanto, um diagnóstico preciso deve ser realizado.

Para tanto, o médico solicita um eletrocardiograma, exame que registra a variação elétrica decorrente da atividade do coração. Após uma conversa com o paciente, exames clínicos e o resultado do eletrocardiograma, provavelmente, o profissional chegará ao diagnóstico de uma arritmia cardíaca. Caso seja necessário, outros exames podem ser solicitados como ecocardiograma ou o teste de esforço físico.

É preciso pesquisar a causa da arritmia e também o seu tipo. Estas ficam dividas em taquicardias e bradicardias. A primeira está relacionada a um aumento considerável do ritmo do coração. Pode acontecer devido a medicamentos, a excesso de exercícios físicos ou à ansiedade, por exemplo. Quando este aumento é súbito e desproporcional ao esforço, temos um quadro de taquicardia. Já as bradicardias são normais quando estamos em repouso e é caracterizada pela diminuição do ritmo cardíaco. Porém, estas podem ser induzidas pelo uso de medicamentos ou de outras condições.

arritmia coração

 

Sintomas

São bastante variáveis e tendem a mudar de acordo com o local e com o tipo de arritmia. Em alguns casos, o problema pode até mesmo não apresentar quaisquer sintomas, sendo diagnosticado por acaso durante uma ausculta do coração ou durante um exame de pulso, por exemplo. A maior reclamação dos pacientes portadores desta disfunção é a sensação de palpitação. Alguns outros sinais são:

  • Tontura;
  • Desmaios;
  • Mal-estar;
  • Fraqueza;
  • Dor no peito;
  • Fadiga;
  • Falta de ar;
  • Sensação de peso na região do tórax.

Em casos mais graves de arritmia cardíaca é comum haver confusão mental e pressão baixa. Diante de qualquer um destes sinais, dirija-se imediatamente a um médico. O descompasso pode comprometer o organismo como um todo. Além disto, pode ser forte indício de algo vai errado com o coração.

 

Prevenção

Como são muitos os fatores que levam a um quadro como o descrito acima, uma série de medidas preventivas podem ser tomadas.  Quando a arritmia é do tipo congênita, o ideal é um monitoramento adequado da situação para que problemas não sejam gerados.

Muitas arritmias são, inclusive, benignas e não prejudicam o organismo.

Entretanto, outras podem ser as causas desta complicação, como hipertensão, doenças cardíacas, entupimento das artérias, drogas, estresse, excesso de exercícios físicos e de cafeína, por exemplo. Desta forma, bons hábitos de saúde e uma dieta regulada podem ser medidas satisfatórias para a prevenção desta doença. Evitar situações de estresse e realizar atividades que lhe deem prazer são outras alternativas. Ingira café moderadamente, assim como o álcool. Não faça uso de drogas e tenha cuidado com o uso prolongado de certos medicamentos.

Realize exames de rotina para que seu organismo possa ser devidamente monitorado. Muitas vezes em exames de rotina descobrimos situações que podem ser tratadas ou controladas, evitando posteriores problema de saúde.

 

Tratamento

Depende muito do diagnóstico. Certos tratamentos envolvem apenas a utilização de fármacos e de medicamentos antiarrítmicos. Outros podem ser ainda mais simples, através, por exemplo, da suspensão de substâncias que causem tal descompasso, como café, chá de canela, chá mate, guaraná em pó ou energéticos.

Pessoas portadoras de bradicardias podem necessitar serem submetidas a uma cirurgia para implante de marca-passo, dispositivo que possui o objetivo de regularizar os batimentos cardíacos. Já em casos de taquicardia, além da implantação de um marca-passo, pode-se também levar em conta uma cauterização no local do impulso.

Casos de arritmia transitória, como as induzidas pelo uso de medicamento, não necessitam de tratamento. Basta esperar a reversão da situação. É importante que diante dos sintomas logo se procure por um médico especialista para a devida análise do caso. A arritmia cardíaca pode ser sintoma de alguma doença perigosa no coração e o tratamento pode ser bastante diferenciado. Não hesite em procurar por auxílio de um profissional quando o seu corpo lhe enviar sinais. Cuide bem da sua saúde para que você possa viver melhor e por mais tempo.

TEMOS MAIS ARTIGOS PARA VOCÊ:

6 comentários em “Arritmia Cardíaca

  1. Foi a melhor matéria que já li e vi sobre arritimias em mais de dois anos de busca digital.
    O entrevistador e o Médico construíram a matéria de tal forma, que o público , por mais leigo que seja,consegue interpretar de uma maneira muito fácil essa complexíssima matéria. Parabéns a ambos

    1. Quando for ao cardiologista, relate tudo o que poder sobre a sua vida para ele. Normalmente o estilo de vida conturbada acaba transmitindo para os exames dados
      que podem confundir o médico, então é importantíssimo o relatório sobre a sua vida para ele. Boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>